O que fazer em Santiago: um guia completo, com todas as dicas e preços

Atualizado em

Santiago do Chile é um dos primeiros destinos internacionais de muitos brasileiros, fácil de visitar, cheia de atrações interessantes, uma cidade bonita e eclética capaz de agradar a todos. 

Confira nosso guia com um roteiro bem completo do que fazer em Santiago, incluindo os passeios no entorno. Descubra onde se hospedar, como trocar dinheiro, o que visitar e tudo que você precisa saber para aproveitar a cidade ao máximo.

O que fazer em Santiago
A Cordilheira dos Andes é avistada de vários pontos de Santiago

Melhor época para visitar Santiago

A capital do Chile pode ser visitada durante o ano inteiro, e em cada estação a experiência será de um jeito. Se quiser ver neve, a melhor época é entre junho e setembro. As temperaturas são bem baixas nessa época, podendo chegar abaixo de zero.

Para encontrar as vinícolas verdes, vá no verão, entre dezembro e fevereiro (a colheita acontece no início de março). Nesse período faz bastante calor. Viajamos em fevereiro para lá e os dias eram bem quentes, com termômetros marcando 40ºC. Por falar nisso, não há Carnaval lá, e tudo funciona normalmente. Uma vantagem do verão é que só anoitece às 21h, então o dia rende bastante.

Quantos dias ficar

Recomendamos pelo menos 4 dias completos para visitar as principais atrações em Santiago em uma primeira viagem. Nesse caso, faça uma seleção nas atrações abaixo, priorizando as que mais interessam.

O ideal é ficar pelo menos uma semana. Se for o seu caso, será possível focar nas atividades de maior interesse, como por exemplo, dedicar um dia inteiro para visitar algumas vinícolas, visitar mais de um mirante ou mais de uma estação de esqui. Confira a sugestão de roteiro em Santiago:

Dia 1: Centro Histórico

Dia 2: Estação de Esqui (se for inverno), ou Valparaíso + Viña del Mar (se for verão)

Dia 3: Cajón del Maipo e Embalse el Yeso

Dia 4: Vinícola + mirante

ou

Dia 1: Centro Histórico

Dia 2: Vinícolas do Vale do Maipo

Dia 3: Cajón del Maipo e Embalse el Yeso

Dia 4: Museus e mirantes

Dia 5: Valparaíso + Viña del Mar

Dia 6: Estação de Esqui

Dia 7: Vinícolas do Vale de Casablanca, ou dia livre

Onde se hospedar, dicas de bairros e hotéis

Os bairros mais procurados são o Providência, moderno e comercial, o Centro Histórico, que fica meio morto após o horário comercial e a região dos bairros Lastarria, Bellas Artes e Bellavista, a melhor escolha, na nossa opinião. Esses bairros são pequenos, ou seja, é fácil circular a pé entre os três, têm construções mais charmosas, e ruas abarrotadas de cafés, bares e restaurantes, além de grande oferta de hotéis e apês no Airbnb.

Confira o post Onde se hospedar em Santiago, com um comparativo de bairros (e dicas de bons hotéis), para saber um pouco mais sobre cada um e escolher o que mais combina com a sua viagem.

A gente ficou em um apartamento alugado pelo Airbnb (clique aqui para ganhar um voucher de R$130,00 para usar na sua primeira reserva). Foi no bairro Bellas Artes, ao lado do museu, e adoramos a experiência.

Confira todas as ofertas de hospedagem em Santiago.

Como sair do aeroporto

As duas melhores opções para sair do aeroporto de Santiago são transfer e táxi. O Uber e o Cabify não são legalizados na cidade, e apesar de funcionarem normalmente pelas ruas, não dá para sair do aeroporto com essas opções.

O transfer vale a pena para quem que está viajando só. Custa 7.000 pesos chilenos (cerca de R$37,00), funciona 24 horas e são fáceis de serem encontrados no saguão de desembarque.

Os táxis custam no máximo 20.000 pesos (R$107,00) até a região central, para os bairros Lastarria, Bellas Artes, Bellavista e centro histórico. Ou seja, se você está com duas pessoas ou mais já vale a pena utilizar o serviço. Nós negociamos com o taxista e pagamos 16.000 pesos (R$86,00). Lembrando que a cotação durante a nossa viagem era de 1 BRL = 186 CLP. Faça uma estimativa de acordo com a cotação da época da sua viagem.

Qual moeda levar e como trocar dinheiro?

É melhor fazer um câmbio do que dois, isto é, a melhor opção é levar dinheiro em real mesmo. É possível trocar nas casas de câmbio do aeroporto de Santiago, mas a melhor cotação geralmente são as das casas de câmbio do centro histórico. Na Rua Agustinas há diversas opções com excelente cotação.

Nós chegamos de madrugada e calculamos o valor suficiente para pegar um táxi até o centro, pois nossa hospedagem já estava paga. Se não for o seu caso, calcule também o valor da hospedagem e, se necessário, uma quantia extra para alimentação. As lojas funcionam até as 18h durante a semana e até as 14h no sábado.

No dia seguinte cedinho trocamos o restante do dinheiro. Lembre-se que a maioria das atrações, hotéis e restaurantes aceitam cartões de crédito e débito (em ambos os casos a alíquota do IOF para compras internacionais é de 6,38%).

Anote algumas dicas básicas:

– Brasileiros não precisam de visto nem passaporte para visitar Santiago. Basta o RG em bom estado de conservação e com menos de 10 anos de expedição. Se preferir, confira como tirar passaporte.

– A vacina de febre amarela não é obrigatória para visitar o Chile.

– Como lidar com o idioma espanhol? Na nossa opinião é bem tranquilo se virar com o português mesmo. Os chilenos são atenciosos e têm familiaridade com o português. Tente aprender o básico, para demonstrar interesse e educação, e não tenha vergonha de pedir para falarem devagar.

– Não é obrigatório fazer um seguro viagem para viajar ao Chile, mas é furada não contar com um. Use esse comparador de preços e serviços de diversas seguradoras para encontrar o que mais se encaixa às suas necessidades.

– Muitas atrações dentro da cidade não funcionam às segundas.

O que fazer em Santiago:

Centro Histórico

No centro histórico de Santiago, comece a visita pela Palácio La Moneda, a sede presidencial chilena. Tente chegar a tempo da troca de guarda, que acontece dia sim dia não, às 10h em dias de semana e às 11h em finais de semanas e feriados. Em alguns meses o evento acontece nos dias pares, em outros, nos dias ímpares. Confira durante a época da sua visita. Estique a visita até o Centro Cultural Palacio La Moneda, que tem entrada gratuita e exposições bem interessantes.

Em seguida, vá até a Plaza de Armas, o coração do centro histórico de Santiago. Além de ser muito bonita, em torno da praça estão a Catedral Metropolitana e o Museu Histórico Nacional, que aliás, tem entrada gratuita. Mesmo que você não queira visitar o museu, vale a pena subir até a torre, que oferece uma bela vista panorâmica da praça.

O que fazer em Santiago
Troca de Guarda no Palácio La Moneda

O que fazer em Santiago
Catedral Metropolitana de Santiago vista do Museu Histórico Nacional

A essa altura já deve estar na hora do almoço, então vá até o Mercado Central de Santiago. Como é possível circular em todo centro histórico a pé, basta utilizar o Google Maps. Os restaurantes são bem turísticos e a experiência é tão tradicional que vale a pena. O mercado é um monumento histórico do Chile e já foi considerado o 5º melhor do mundo pela Revista National Geographic.

Não tem tantas opções de artesanato como a gente imaginou. Por outro lado é um lugar para conhecer todos os frutos do mar do Pacífico, incluindo a centolla, o caranguejo gigante que custa pelo  menos 40.000 pesos (R$215,00). Alguns lugares bem recomendados para almoçar são o El Galeón e o Donde Augusto.

 O que fazer em Santiago

Volte para Plaza de Armas, pois bem ao lado está o Museu de Arte Pré-colombiana (Museo de Arte Precolombino), que na minha opinião é o mais interessante de Santiago. Se pretende visita-lo, dedique pelo menos 2 horas. O ingresso custa 6 mil pesos (R$32,00).

Santiago Chile
Museu de Arte Precolombino em Santiago

Outros pontos interessantes no centro histórico são o Paseo Ahumada, um calçadão bem charmoso cheio de lojas, e bem perto dali está estão a Basílica La Merced, que é muito bonita, e a Igreja de São Francisco, que também merece a visita. Ao lado da igreja está um bairro charmoso e pequenininho que parece uma viagem no tempo dentro de Santiago. É o bairro Paris-Londres, onde estão alguns cafés.

O que fazer em Santiago
Bairro Paris- Londres

Outro lugar interessante para um café é o bairro Bellas Artes, bem pertinho dali. É lá que está o Museu Nacional de Bellas Artes, que tem entrada gratuita, em um prédio muito bonito. São várias opções de cafés com as mesas na calçada.

Finalize o no bairro Lastarria, um dos mais badalados de Santiago, cheio de ótimos bares e restaurantes que estão sempre cheios, com cardápio variado e drinks excelentes.

Leia também: Dicas de restaurantes em Santiago

Vinícolas perto de Santiago

Visite pelo menos uma vinícola, mesmo que você não seja fã número um de vinhos. O Vale do Maipo é a região vinícola mais próxima de Santiago, fácil de visitar por conta própria. Nesse vale estão algumas vinícolas famosas como a Concha y Toro e a Cousiño Macul, onde é possível fazer degustações, ou até mesmo um tour para entender melhor o processo de produção.

Todas as viñas são belíssimas, principalmente durante o verão, quando as parreiras estão verdinhas e com cachos carregados de uvas. Se você é fã de vinhos, dedique o dia inteiro e visite ao menos três vinícolas. Comece pela Concha Y Toro, almoce no restaurante de lá, e depois siga para a Aquitania, uma vinícola boutique pequena com vinhos incríveis. Finalize na Cousiño Macul, bem próxima, ambas um pouco mais distantes da primeira. Mas é muito fácil ir de táxi ou Uber se estiver em grupo, ou de metrô. A nossa dica é viajar com um chip internacional da EasySim4You (clique aqui e garanta frete grátis com o cupom RBBVGRATIS) e usar os aplicativos de transporte.

O tour mais barato custa 16 mil pesos (cerca de R$86,00), mas é possível fazer degustações por taça ou garrafa nos wine bars das vinícolas.

Confira como chegar nas vinícolas de metrô, e saiba como funciona o tour de cada uma clicando nos links, ou então, conheça todas as vinícolas do Vale do Maipo.

Se você quiser conhecer apenas uma das vinícolas do Vale do Maipo, dedique o restante do dia para visitar os museus do centro histórico com mais calma, ou um dos cerros de Santiago (confira abaixo).

Outro vale próximo de Santiago é o Vale de Casablanca, mas nossa dica é fazer um tour com alguma agência percorrendo quatro vinícolas no mesmo dia. Nós fizemos um tour com a Destino Chile, especializada em turistas brasileiros. O passeio custou R$418,00 por pessoa incluindo van, guia e degustações, e durou o dia inteiro. Visitamos a Casona Veramont, a Emiliana, Viñamar, que produz espumantes, e a Indomita, que tem um visual incrível do vale. Confira como foi o passeio no post rota do vinho no vale de Casablanca.

O que fazer em Santiago
Viña Concha Y Toro – Chile
O que fazer em Santiago

Cerros de Santiago e Mirante SKY Costanera

Dentro de Santiago há duas montanhas que podem ser visitadas para ter uma vista panorâmica da cidade e das montanhas nevadas da Cordilheira dos Andes. A mais fácil é o cerro Santa Lucía, cuja subida é somente a pé, mas bem tranquila. A entrada é gratuita e basta 1 hora para circular nos pontos de interesse.

Já no cerro San Cristóbal, conte com pelo menos duas horas de visita. O legal é fazer a subida de funicular e a descida de Teleférico do Parque Metropolitano. Essa montanha é mais alta e tem mais pontos de interesse, além de ser um lugar agradável para descansar um pouco e apreciar a vista tomando um mote con huesillos. Descubra como é essa tradicional bebida chilena e conheça as comidas típicas do Chile.

Outra atração imperdível em Santiago é o Mirante Sky Costanera, o mais alto da América Latina, com 300 metros de altura. A entrada custa 15.000 pesos chilenos (cerca de R$80,00). Descubra como é a visita ao Sky Costanera, ou se tiver que escolher só uma das três atrações nas alturas, confira o post três mirantes para ver Santiago do alto, veja como chegar em cada um, confira mais fotos e mais informações.

Lembre-se que perto do cerro San Cristóbal estão o Pátio Bellavista, um shopping cheio de lojinhas de artesanato e diversos restaurantes que fazem sucesso entre os brasileiros, e a casa Museu La Chascona de Pablo Neruda, atração visitadíssima em Santiago. O ingresso custa 7 mil pesos (R$37,00).

O que fazer em Santiago
Mirante Sky Costanera: a dica é ir para o pôr do sol
O que fazer em Santiago
É possível descer de teleférico do Cerro San Cristóbal

Estações de esqui

Visitar uma estação de esqui é o programa principal dos brasileiros que viajam para Santiago do Chile. Geralmente o passeio dura um dia inteiro e as estações mais procuradas são o Valle Nevado e o Parque de Farellones.

Lembre-se que as estações só funcionam de junho a setembro, quando as montanhas estão cobertas de neve. Se sua viagem for fora desse período, ainda é possível visitar, mas o cenário será completamente diferente.

Não é recomendado conciliar duas estações de esqui no mesmo dia, embora algumas agências ofereçam o passeio casado. Escolha entre uma das duas ou dedique dois dias do seu roteiro em Santiago para visitar as estações.

Uma vez na estação de esqui, você pode fazer aulas ou apenas brincar na neve. Em ambas existem teleféricos que levam os visitantes de um ponto a outro.

É possível chegar de van. Elas saem às 8h do shopping Ommnium Center, na av. Apoquindo, 4.900. Custam 20 mil pesos (R$107,00) para o Valle Nevado e 17 mil (R$90,00) para Farellones. Por ali é possível alugar as roupas necessárias para se aventurar na neve. Se for pernoitar nas estações de esqui, conte com o transfer dos hotéis, ou ainda, contrate o passeio de um dia com as agências. Essa última opção custa em torno de 35.000 pesos (R$188,00).

Preços para entrar nas estações:

Valle Nevado: 53 mil para adultos (R$284,00) | site oficial

Parque de Farellones: 10 mil (R$54,00) só a entrada, 49 mil (R$264,00) o acesso às atividades | site oficial

Hotel no Valle Nevado | Hotel em Farellones

Cajón del Maipo

Esse é um dos passeios que se tornou muito popular nos últimos anos em Santiago. A região, a uma hora do centro, pode ser visitada durante todo ano, com diferentes visuais dependendo da estação.

O Embalse el Yeso é a atração mais conhecida e o tour custa a partir de 49 mil pesos (R$262,00). A gigante represa de água azul turquesa é mesmo maravilhosa. Outro ponto que merece a visita é o Termas Baños Colina, com piscinas naturais de águas com temperatura entre 30º e 60ºC. Durante o inverno, as agências não costumam oferecer o passeio para as águas termais, e a visita ao Embalse el Yeso depende das condições climáticas, mas no restante do ano é possível fazer o tour casado. As montanhas, vulcões e paisagens de lá são incríveis.

Confira nosso artigo completo sobre o passeio no Embalse el Yeso e sobre as Termas Colinas.

O que fazer em Santiago
Embalse el Yeso, um dos passeios imperdíveis ao redor de Santiago
O que fazer em Santiago
Águas termais Baños Colinas, em Cajón del Maipo

Valparaiso e Viña del Mar

Outra atividade muito comum para quem visita Santiago é o um bate-volta nas cidades do litoral do Pacífico, Valparaíso e Viña del Mar, distantes cerca de 140 quilômetros do centro da capital chilena. A primeira é Patrimônio da Humanidade pela Unesco, cheia de cerros coloridos e muitos grafittis. A segunda é um balneário sofisticado, cheio de cassinos e praias bonitas (não para nadar, pois as águas são geladas mesmo no verão).

Existem várias formas de visitar, com passeios contratados nas agências, para quem quer facilidade, e ônibus por conta própria, para quem quer mais liberdade. As agências cobram em torno de R$175,00 incluindo van e tour guiado, e a visita por conta própria sai em torno de R$50,00, somando todos os trajetos de ônibus.

As principais atrações de Valparaíso são o Centro Histórico, a Plaza Sotomayor, a La Sebastiana (a outra casa museu de Pablo Neruda), o Paseo 21 de Mayo, que oferece a melhor vista da cidade, acessível dos famosos ascensores, e os diversos cerros, sendo os mais visitados o Cerro Alegre e o Concepcíon.

Já em Viña del Mar, as principais atrações são o Relógio das Flores, o Castelo Wullf, o Museo Fonk, e as praias, principalmente a Reñaca.

Nós ficamos alguns dias nas duas cidades para conhecer melhor. Se você tiver mais dias de viagem no Chile, dedique pelo menos 3 dias na região e confira como chegar de ônibus e todos os detalhes nos posts o que fazer em Valparaíso e o que fazer em Viña de Mar.

O que fazer em Santiago
Paseo 21 de Mayo em Valparaíso, Chile
O que fazer em Santiago
Valparaíso é um enorme museu a céu aberto
O que fazer em Santiago
Praias em Viña del Mar, Chile
O que fazer em Santiago
Relógio das Flores em Viña del Mar, Chile

City tour e free walking tour

Se quiser mais comodidade para visitar as principais atrações de Santiago, procure por um city tour de ônibus Hop On Hop Off, que custa em torno de 23.000 pesos (R$123,00). O Free Walking Tour também é uma opção interessante. O passeio sai da Plaza de Armas diariamente às 10h e às 15h, e dura cerca de 4 horas, e você paga o quanto achar justo.

Parques de Santiago

A capital do Chile é bem arborizada e cheia de parques que estão sempre cheios. Se você curte passeios ao ar livre, saiba quais são os mais fáceis de serem visitados. O Parque Araucano, que fica próximo ao Shopping Park Arauco (muito procurado pelos brasileiros que querem fazer compras), em Las Condes, é um deles. O Parque das Esculturas é legal porque une arte e natureza, e fica próximo ao Sky Costanera. Já o Parque Bicentenário, em Vitacura, é enorme, e se destaca pela laguna cheia de aves. Fechando a lista, o Parque Florestal, um dos mais charmosos e super fácil de visitar, localizado em frente ao Museu Nacional de Bellas Artes.

Santiago do Chile
Parque das Esculturas

Extra: Vale do Colchagua

A região a cerca de 180 quilômetros ao sul do Chile é um dos melhores destinos de enoturismo do país, e muitos tentam fazer um bate-volta para lá. Mas são tantas vinícolas incríveis, e a cidadezinha de Santa Cruz é tão acolhedora, que a gente recomenda ficar alguns dias lá. Conheça as vinícolas do Vale do Colchagua e confira o que fazer em Santa Cruz, no Chile.

Santiago é um destino incrível e uma só viagem é muito pouco para vivenciar tudo que a cidade pode oferecer. Esperamos que esse guia te ajude a ter a melhor experiência possível lá!

Todas as dicas sobre o Chile:

por Camila Coubelle

Organize sua viagem aqui
OFERTAS DE HOSPEDAGEM no mundo inteiro com reserva rápida e segura, opções de cancelamento gratuito e pagamento no check-in na Booking.com
ALUGUEL DE CARRO em até 12x sem juros no cartão sem IOF ou com 5% de desconto no boleto. Compare preços das locadoras no Rentcars.com
COTAÇÃO DE SEGURO VIAGEM em até 12x ou com desconto no boleto. Compare preços de várias seguradoras no Seguros Promo. Use nosso cupom de desconto: VIDASEMPAREDES5
VOCÊ GANHOU R$130 em créditos de viagem para usar na primeira reserva no Airbnb
PASSAGEM AÉREA em oferta com até 25% OFF em até 6X sem juros no Passagens Promo
CHIP DE INTERNET com plano de dados para 140 países e conexão ilimitada. Viaje conectado com a EasySim4U ou a Chip de Viagem
INGRESSO antecipado para atrações e eventos no mundo inteiro com melhor preço, comodidade e segurança com Get Your Guide
Ao reservar com nossos parceiros nos links citados acima, recebemos uma pequena comissão. Você garante os melhores serviços e preços, não paga a mais por isso e ainda ajuda a gente a continuar compartilhando dicas de viagem. Muito obrigada e boa viagem! <3



As dicas do vida sem paredes te ajudaram?

Pra não perder nenhuma informação ou roteiro, fale com a gente no FACEBOOK, INSTAGRAM, PINTEREST ou YOUTUBE

Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa. Aqui você encontra muitas dicas, roteiros, guias de destinos incríveis pelo mundo. A gente divide nossas experiências para inspirar as suas.

Um comentário em “O que fazer em Santiago: um guia completo, com todas as dicas e preços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.