Jujuy, Argentina: como chegar, o que fazer, dicas e preços

Atualizado em

Jujuy, na Argentina, onde está a Quebrada da Humahuaca, é um destino turístico ainda pouco conhecido pelos brasileiros, que conserva paisagens extraordinárias. De belezas andinas, em altitudes que ultrapassam os 4 mil metros, e muitas montanhas coloridas, com camadas formadas há milhões de anos, a região é Patrimônio da Humanidade.

Os cenários são áridos, com muitos vales, cactos gigantes, lhamas e vestígios de povos indígenas pré-colombianos. É um destino muito barato, fácil de visitar e, ao contrário do que eu esperava, com ótima infraestrutura para o turismo.

Preparamos um guia completo com o que fazer em Jujuy. Aqui você vai entender tudo sobre a região, como chegar, qual o melhor povoado para se hospedar, como visitar as atrações, preços, dicas e tudo que você precisa saber para planejar uma viagem inesquecível – e cheia de fotos incríveis – para lá!

cerro de 14 colores jujuy
Serranía del Hornocal ou Cerro de 14 Colores é uma das atrações incríveis de Jujuy
A Quebrada de las Señoritas é um sítio paleontológico na cidade de Uquía, em Jujuy

Entenda a região de Jujuy

Jujuy é uma província localizada na região Norte/Nordeste da Argentina, a cerca de 1500km de Buenos Aires, que faz fronteira com Bolívia e Chile. Sua capital é a cidade de San Salvador de Jujuy, com cerca de 300 mil habitantes, um dos pontos de partida para visitar as atrações da região. O outro ponto é a cidade de Salta, que está a cerca de 90 quilômetros. A duas cidades são as que têm os aeroportos mais próximos.

A província de Jujuy é dividida em quatro zonas, ou quatro circuitos turísticos, sendo a Quebrada de Humahuaca a mais conhecida, por ser Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

Partindo de San Salvador de Jujuy ou de Salta rumo ao norte, pela lindíssima Ruta 9, passamos por diversos pequenos povoados da província de Jujuy, e cada um deles tem atrações a se visitar. Nós visitamos os povoados de Purmamarca, Maimará, Tilcara, Uquía, Humahuaca e Tres Cruces, e vamos mostrar suas belezas. Eles são parecidos, com casinhas de adobe, e ruas estreitas de areia. Continue lendo para descobrir todas as dicas da região.

Veja no mapa os povoados da Quebrada de Humahuaca, na província de Jujuy


>> I M P E R D Í V E L <<

 Guia completo de Buenos Aires


Quantos dias ficar + roteiro

Recomendamos no mínimo 6 dias para visitar as principais atrações na região de Jujuy e Quebrada de Humahuaca em uma primeira viagem. Se tiver mais dias disponíveis, saiba que há diversos outros pontos. Confira a sugestão de roteiro:

Dia 1: Chegada + povoado de Tilcara

Dia 2: Pucará de Tilcara e Garganta del Diablo, ambas em Tilcara

Dia 3: Cerro 7 Colores, Paseo Colorados e Salinas Grandes, em Purmamarca

Dia 4: Quebrada de las Senhoritas, em Uquía + El Hornocal, em Humahuaca

Dia 5: Puente del Diablo, em Tres Cruces ou Iruya

Dia 6: Cerro La Paleta del Pintor, em Maimará + Huacalera

DICA:

Existem passeios bate-volta para atrações da Quebrada de Humahuaca a partir de Salta, uma opção para quem está na cidade e não tem muita disponibilidade.

Onde se hospedar: Tilcara, Humahuaca ou Purmamarca?

Como há vários povoados e atrações espalhadas pela Quebrada de Humahuaca, fica até difícil saber onde se hospedar, certo? Nem tanto! Existem algumas cidades com boa infraestrutura para receber turistas, com ofertas de bons hotéis e restaurantes, como Tilcara, Purmamarca e Humahuaca.

Mas depois de muito pesquisar, optamos por ficar em Tilcara e, com certeza, foi a melhor opção. Não é a maior cidade do Departamento de Humahuaca, mas oferece uma ótima estrutura para o turismo, além de ser muito bonitinha. Ficamos em hotéis superconfortáveis com bons preços, comemos em bons restaurantes, tivemos acesso a um terminal rodoviário com várias saídas para as cidades da região, mercadinhos, agências de turismo, lojas, caixa eletrônico internacional e facilidade de transitar entre as atrações, seja de ônibus, táxi ou remises.

Confira algumas opções de hotéis para se hospedar nas principais cidades da Quebrada de Humahuaca:

Tilcara

Há vários tipos de hospedagem na pequena Tilcara, das mais simples às mais luxuosas. Nós ficamos uma noite no Casatilcara Cabañas, que na verdade são pequenos apartamentos para até 5 pessoas, com banheiro privativo, sala e cozinha completa, além de café da manhã servido na habitação.

O Las Marías Hotel Boutique é uma ótima opção também para quem busca conforto. A hospedagem oferece quartos bem decorados (alguns com banheira de hidromassagem), piscina, spa, academia e bar.

Já o Casa Grande Hotel tem acomodações mais simples, mas com recepção 24 horas, lounge compartilhado e serviço de câmbio. Assim como o Tilcara Hostal Niña Coya, outra hospedagem bem avaliada em Tilcara.

Para quem quer economizar, o Tilcara Hostel é uma opção com quartos privativos e compartilhados. O banheiro, porém, é dividido com outros hóspedes.

>> Nós também nos hospedamos na La Posadita, uma pousadinha muito charmosa, no alto da colina e com ótima vista de Tilcara. O quarto é muito confortável e o café da manhã supercompleto. Esta você pode reservar pelo Airbnb. Se nunca usou a plataforma, aproveite nosso cupom e ganhe R$ 130 de desconto na primeira reserva.

Purmamarca

Há turistas por toda parte em Purmamarca, mas nós achamos que não é uma vila muito charmosa para passar a noite. No entanto, as ofertas de hospedagem são ótimas. As casas de temporada Colores de Purmamarca, por exemplo, têm vista panorâmica das colinas e piscina ao ar livre. Além de oferecer bicicletas gratuitas para passear no entorno. 

O Del Amauta Hosteria tem quartos para famílias com área de estar separada e varandas.

Localizado a 2km do centro de Purmamarca, o Huaira Huasi oferece quartos para famílias e café da manhã. Já o Pumahuasi Hostal Boutique fica muito perto do centro e tem ótimo custo-benefício.

Humahuaca

A maior cidade da região abriga uma das principais atrações de Jujuy, o Cerro de los 14 Colores – El Hornocal. Porém, para nós, a infraestrutura para o turismo deixa um pouco a desejar. No entanto as hospedagens com preços mais acessíveis estão em Humahuaca.

O Hotel Boutique Urku Wasi é bem bonitinho, com decoração andina e bastante iluminado. Os quartos contam com banheiro privativo e tem café da manhã.

O Munay Humahuaca é uma opção barata, a 800 metros do centro, com quartos confortáveis, balcão de turismo e café da manhã bem-avaliado.

Já o La Nueva Puerta Verde é um hostel com acomodações apenas para adultos, quartos privativos e compartilhados, bar e jardim. Os banheiros também são compartilhados. Assim como o Giramundo Hostel, um albergue bem colorido com churrasqueira ao ar livre e cozinha de uso comum, além de quartos privativos e compartilhados.

DICA EXTRA: Se estiver viajando de carro e quiser máximo conforto, o Hotel Huacalera é uma ótima opção. Ele fica às margens da Ruta 9, no pequeno povoado de Huacalera e dispõe de serviços de spa com tratamento de luxo, piscina, quartos espaçosos com decoração moderna, restaurante, bar, passeios de bicicleta e cavalgadas.

O hotel fica a 20km de Tilcara e é indicado para quem quer conjugar descanso com tours para as atrações dos povoados ao redor. A dica aqui é curtir muito as comodidades do hotel.

>> Confira outras opções de hospedagens na Booking.com ou no Hoteis.com.

 

Como chegar em Jujuy e como sair do aeroporto

Existem ônibus de Buenos Aires a San Salvador de Jujuy (a Balut Bus faz essa linha), mas a viagem dura cerca de 23 horas, e a melhor forma de chegar é de avião.

O Aeroporto Internacional Gobernador Horacio Guzmán (JUJ) é o que atende a província de Jujuy. Ele fica na cidade de Perico, a 33 quilômetros de San Salvador de Jujuy. A Aerolíneas Argentinas oferece voos diretos para lá a partir de Guarulhos, sempre aos sábados, com duração de 3 horas. Já quem vai aproveitar a viagem para conhecer Buenos Aires ou outras cidades da Argentina, pode usar os voos domésticos das empresas Aerolíneas Argentinas, Andes, Austral e Flybondi. A viagem de Buenos Aires para Jujuy dura cerca de uma hora e meia.

Se chegar por Salta, no Aeroporto Internacional Martín Miguel de Güeme (SLA), saiba que existem ônibus até cidades da Quebrada de Humahuaca. A viagem com a empresa Balut Bus até Tilcara, por exemplo, dura três horas e quarenta minutos.


Confira preços de voos

em oferta para Buenos Aires

no Viajanet ou no Passagens Promo


O Aeroporto de Jujuy é bem pequeno e existem poucas opções para chegar até o centro de San Salvador ou até o Terminal Rodoviário Novo:

Remises ou táxi: você encontra no balcão no saguão de desembarque. Custam 800 pesos (cerca de R$ 58 – set/2019) até o centro de San Salvador de Jujuy.

Micro-ônibus: essa é uma boa opção para quem está só e quer economizar. Também chamados de “combi” e “minibus” por lá, funciona apenas durante a chegada de voos e custa 350 pesos (cerca de R$ 25 – set/2019). Há um balcão no saguão de desembarque, mas fique atento, pois o carro sai rápido, logo depois da chegada do voo. O micro-ônibus faz três paradas: Terminal Novo, de onde saem os ônibus para os povoados de Jujuy; Terminal Velho, que não funciona mais, mas é de onde saem os táxis/remis compartilhados para os povoados; e na Praça Belgrano, no centro de San Salvador de Jujuy.

 

Se você chegar tarde da noite no aeroporto, como nós, é melhor pernoitar no centro e seguir até os povoados de remis no dia seguinte. Como o Terminal Velho fica no centro dá até para ir a pé. É preciso esperar completar quatro passageiros no carro e a passagem custa 180 pesos (cerca de R$ 12 – set/2019) até Tilcara. A diferença é pequena para os outros povoados.

Já o Terminal Novo fica a 6,5km do centro, boa opção para quem chega durante o dia, a tempo de pegar o ônibus. Para adiantar a viagem, ainda há opção de pegar um remis até o Terminal de Perico, que também oferece ônibus até os povoados. Consulte horários no site CheckMyBus, mas saiba que nem todas as empresas estão cadastradas, então pode haver mais horários disponíveis do que os que o site mostra.

Como chegar de ônibus nos povoados

Ao contrário do que eu imaginava, há ótima oferta de ônibus entre os diversos povoados da província de Jujuy. São várias empresas fazendo os trajetos e há muitos horários. Nos terminais existem tabelas com todas as saídas, alguns guichês aceitam cartão e as passagens são bem baratas. De San Salvador até Tilcara custa 160 pesos (cerca de R$ 12).

Veja outros preços, com cotação 1BRL = 13,9ARS (set/2019):

Tilcara x Purmamarca: 40 pesos (R$ 2,90)

Tilcara x Humahuaca: 80 pesos (R$ 5,80)

Tilcara x Uquía: 60 pesos (R$ 4,30)

Uquía x Humahuaca: 25 pesos (R$ 1,80)

Tilcara x Tres Cruces: 225 pesos (R$ 16)

Tilcara x Huacalera: 30 pesos (R$ 2,30)

Tilcara x Iruya: 250 pesos (R$ 18)

Tilcara x Perico (cidade onde está o aeroporto): 210 pesos (R$ 16)

Vale a pena alugar um carro?

Quando estávamos planejando a viagem não encontramos muita informação sobre as estradas da região Norte da Argentina, e as poucas que vimos diziam que não valia a pena alugar carro.

Entretanto, nos arrependemos de não alugar. A Ruta 9 é uma ótima estrada, bem sinalizada nas entradas dos povoados, e de uma beleza extraordinária. Teria sido ótimo poder parar em vários pontos.

Mas a maior vantagem de quem está com carro é visitar algumas atrações por conta própria, como a Salinas Grandes e o Hornocal. Estando sem carro, é necessário contratar táxis para ir até esses pontos, mas eles só esperam por uma hora. No caso da Salinas, para nós ficou inviável visitar os “Ojos del Salar”, visto que precisava de um pouco mais de tempo.

Como a Ruta 9 corta os povoados, é impossível não os encontrar. E deles até as atrações há grande fluxo de carros. Além disso, um GPS ou Google Maps (baixe os mapas off-line) funciona bem.

Se precisar alugar um carro, eu sugiro esse comparador online que ajuda a encontrar a melhor locadora e os melhores preços entre os disponíveis em San Salvador de Jujuy. Lembre-se de pegar um carro 1.4 ou superior, para facilitar na estrada de terra para o Hornocal. Em Tilcara, onde fixamos nossa base, há postos de gasolina com preços iguais aos de Buenos Aires (cerca de R$ 3,50 por litro – set/2019).

Ruta 9 Uquia
A Ruta 9 é cheia de paisagens incríveis

O que fazer em Jujuy:

1. Tilcara

A 2.461 metros de altitude, e a 90 quilômetros de San Salvador de Jujuy, Tilcara foi a cidade que mais gostamos, por ter a melhor infraestrutura, e por ser a mais charmosinha, com ótimos restaurantes. Além da Feira de Artesanato e do Mercado Campesino, na praça principal, as principais atrações são a Garganta del Diablo e o Pucará de Tilcara.

Tilcara Jujuy
Tilcara vista da estrada para a Garganta del Diablo
Garganta del Diablo

É possível chegar na atração através de uma trilha com 4km, ou de uma estrada sinuosa de 8km. Embora íngreme, a trilha é aberta e sinalizada. Os remis cobram em torno de 400 pesos (cerca de R$ 29 – set/2019) só ida, ou 600 (cerca de R$ 43) ida e volta com espera de 1 hora. O ingresso custa 50 pesos (cerca de R$ 3,60) e a visita dura cerca de 1 hora e meia, pois do portão até a cascata a caminhada é de 20 minutos. O local tem banheiros e estacionamento.

garganta del diablo jujuy
Cascata no completo da Garganta del Diablo
Pucará de Tilcara

Esse sítio arqueológico lembra Machu Picchu, e conta um pouco da história de povos pré-colombianos. Existem dois trajetos, um deles, facilitado para quem tem dificuldade de locomoção.

A visita por conta própria leva cerca de 2 horas, mas há visitadas guiadas. Essa é a atração mais interessante de Tilcara e funciona diariamente das 9h às 18h, com entrada gratuita às segundas, e ingressos a 300 pesos (cerca de R$ 21 – set/2019) nos demais dias.

Lá ainda existe um Jardim Botânico das Alturas, que tem cactos muito legais. O ingresso também dá direto a visitar o Museu Arqueológico Eduardo Casanova, no centro de Tilcara, que apresenta um acervo de peças encontradas no sítio.

O sítio Pucará de Tilcara fica aproximadamente 1,7km da praça principal, e os remis cobram em torno de 60 pesos (R$ 4,30) só ida, ou 300 pesos (R$ 24) ida e volta, com espera de 1 hora.

Em ambas atrações é uma boa ideia ir de remis e voltar a pé.

Pucara de Tilcara
Pucará de Tilcara, principal atração da cidade

pucara de tilcara
Pucarás são fortalezas onde vivam alguns povos indígenas pré-hispânicos

2. Maimará

Localizada a 8km de Tilcara, esse pequeno povoado tem como principal atração o Cerro La Paleta del Pintor. Embora a montanha fique dentro do povoado, a melhor vista é a de um mirante às margens da rodovia. Ou seja, nem é preciso entrar em Maimará, a menos que queira conhecer a Bodega Dupont, outra atração interessante. A vinícola fica próxima ao acesso ao cerro (há placas) e é conhecida pelos vinhos de altitude. Está aberta à visitação de segunda a sábado, das 9h às 18h.

No povoado ainda estão o Cemitério de Maimará e o Museu de la Vida Campesina, que ficam às margens da Ruta 9, na entrada da cidade. Peça ao motorista do remis para descer na entrada e procure por uma cruz para encontrar o pequeno caminho do mirante.

Os remises compartilhados saem do hospital de Tilcara, no centro, e custam 25 pesos por pessoa (cerca de R$ 2 – set/2019), e um táxi privativo custa 150 pesos (R$ 11). Se for visitar apenas o cerro, pegue o remis de volta na entrada da cidade mesmo.

paleta del pintor
Maimará fica aos pés do cerro
La paleta del pintor maimara jujuy
O Cerro La Paleta del Pintor em Maimará é um dos mais bonitos

3. Purmamarca

A 24km de Tilcara (com acesso pela RN52), Purmamarca é um dos povoados mais visitados da região e também o que tem mais atrações. O Cerro de los 7 Colores é o principal atrativo, além da grande Feira de Artesanato em volta da praça com preços muito bons (essa sim, melhor que a de Tilcara), a trilha chamada Paseo de los Colorados e o acesso às Salinas Grandes.

purmamarca jujuy
Purmamarca é uma das cidades mais conhecidas de Jujuy
Feira de artesanato

A feira é grande e fica em volta da praça principal, além das várias lojas no entorno. Tem artigos diversos em tecido, pedra, madeira e até produtos feitos com cardón, o cacto típico da região. Os cachecóis são liiiindos e custam a partir de 300 pesos (R$ 24). Tem também muitas barraquinhas de comida e algumas lojas aceitam cartão de crédito.

feira purmamarca
Há muitos produtos em lã, cerâmicas e artesanato em geral
purmamarca
Algumas barracas aceitam cartão
Cerro de los 7 Colores

O cartão-postal de Purmamarca pode ser visto de vários ângulos da cidade. A montanha colorida impressiona pelo tamanho e pela diversidade de tons, provocados pela ação do clima ao longo de milhões de anos. O acesso ao mirante central, chamado El Porito, com vista para o cerro custa 10 pesos (menos de R$ 1 – set/19), mas antes de entrar na cidade, na beira da estrada, há um mirante gratuito, com uma vista ainda maior e mais bonita do cerro e de Purmamarca.

cerro 14 cores jujuy
O mirante El Porito oferece uma vista privilegiada do cerro
Paseo de los Colorados

A trilha fácil de mais ou menos 3km é atração obrigatória em Purma. Isso porque você caminha por uma estrada com várias montanhas, cada uma de uma cor, e se impressiona com a paisagem a cada passo. É possível fazer o trajeto de carro, mas o ideal é seguir a pé e curtir o clima único da cidade. Dedique pelo menos 1 hora.

Passeo de los Colorados jujuy
O Passeo de los Colorados passa por diferentes montanhas coloridas
Salinas Grandes

Na verdade, o deserto de sal fica a 70km de Purmamarca, a 4170 metros acima do nível do mar, pela Ruta 52, na Cuesta del Lipan. A estrada é sinuosa e, por si só, já é uma atração e tanto.

Se estiver sem carro, o ideal é pegar um táxi ou remis. O táxi privado sai por 2000 pesos (cerca de R$ 143 – set/19) e o remis compartilhado custa 500 pesos por pessoa (cerca de R$ 36 – set/19), ida e volta, com espera de 1 hora na atração. Agende o horário com eles assim que chegar em Purma (ficam no começo da feira) e saiba que o passeio dura um total de 3 horas.

Com carro próprio, uma vez nas Salinas, o legal é fazer um tour guiado (300 pesos/R$21) pelos Ojos del Salar, lagos naturais de cor azul turquesa. O tour dura 40 minutos e só pode ser feito com guias, visto que o chão pode ceder com a formação dos lagos.

jujuy argentina
Olha esse visual da Cuesta de Lipán, no caminho para as Salinas Grandes
salinas grandes jujuy
Salinas Grandes
salinas grandes jujuy
Nos disseram que quando chove dias antes o sal fica mais clarinho. Nós viajamos em setembro, quando a chance de chuva é mínima

4. Uquía

Uma cidadezinha beeem pequena, localizada a 32km de Tilcara. Ao invés de terminal de ônibus, encontramos uma Feira de Artesanato logo na entrada. A Iglesia San Francisco de Paula é uma das atrações, mas é a Quebrada de las Señoritas o ponto turístico surreal e imperdível de lá. Ela fica bem perto de Humahuaca, e dá para conciliar as duas.

Iglesia San Francisco de Paula

Construída em 1691 e considerada Monumento Histórico Nacional, a igreja guarda a coleção Los Ángeles Arcabuceros, pinturas feitas no século XVII por indígenas da Escola Cuzqueña (não é permitido fotografar).

Quebrada de las Señoritas

Reserve cerca de 3 horas para conhecer o sítio paleontológico a fundo, cujo acesso fica na rua que sobe ao lado da igreja e passa pelo cemitério. Chega-se de carro até certo ponto, o que já é suficiente. Mas seguindo a pé por mais meia hora por caminho que não é sinalizado (mire os cactos gigantes à direita), chegamos a um túnel natural incrível. A caminhada é plana, exposta ao sol (leve bastante água), e o trajeto de ida e volta é o mesmo.

quebrada de las senoritas
Não deixe de visitar esse corredor na Quebrada de las Señoritas
uquia jujuy
Como sempre, arrumei um doguinho para mostrar o caminho! 😉

5. Humahuaca

Está a 44km de Tilcara, é a maior cidade da região, e a que deu nome à zona Quebrada de Humahuaca. Pelo centro, o melhor é visitar as lojinhas no entorno da Plaza San Martín, o pequeno museu do Cabildo e o gigantesco Monumento a los Héroes de la Independencia. Já no entorno, a principal atração é a Serranía de Hornocal.

Humahuaca é a cidade que da nome a uma das zonas turísticas da província de Jujuy, a Quebrada de Humahuaca
Serranía del Hornocal

Popularmente conhecida como o Cerro de los 14 Colores, a montanha multicolorida é uma das principais e mais surpreendentes atrações da Quebrada. Fica a 25km do centro de Humahuaca, por uma estrada de terra bastante sinuosa (RP73), a 4350 metros de altitude.

Os agentes de turismo e remises oferecem passeios de ida e volta até a montanha no entorno do terminal rodoviário. O tour de van custa 300 pesos por pessoa (cerca de R$ 21,50 – set/2019) e de caminhonete sai por 400 pesos (R$ 28,70). Se estiver de carro e se ele tiver uma potência acima de 1.4, é possível ir por conta própria, bem devagar e usando sempre marcha pesada. Mas se não tiver experiência e não quiser arriscar, prefira o tour, que dura aproximadamente 2 horas e meia no total.

serranial del hornocal cerro 14 cores
Um dos lugares mais incríveis da Quebrada de Humahuaca

6. Tres Cruces

Esse foi o menor povoado que visitamos, a 100km de Tilcara. A viagem dura uma hora e meia. Leve lanche e dinheiro em espécie pois lá não tem restaurantes, aliás, a cidade é quase “fantasma”. A formação rochosa Puente del Diablo, que pode ser vista da Ruta 9 e na verdade são três pontes, compensa.

Puente del Diablo

Essa caminhada é pesada, recomendada para quem tem preparo físico. São 4km a uma altitude de 4 mil metros, vencidos em 2 a 4 horas de subida, dependendo da disposição. A trilha é aberta e de fácil orientação, mas recomendo contratar um dos três guias da cidade, pois além de ser o único trabalho deles, a atração fica em propriedade privada.

O guia Diego nos cobrou 800 pesos (cerca de R$ 58 – set/2019) e tivemos que contratar um carro para nos levar no início da trilha, que fica a alguns quilômetros do centro. O motorista cobrou 300 pesos (cerca de R$ 21) para levar e buscar no horário marcado.

O Whatsapp do guia Diego é +54 9 3886 82-1285. Ele não tem tanto acesso à internet e pode demorar a responder, mas vale a pena entrar em contato antecipadamente para combinar, e não precisar bater de porta em porta como a gente (risos).

puente del diablo jujuy
A Puente del Diablo pequenininha, vista do início da trilha

puente del diablo jujuy
Em hipótese nenhuma cruze a ponte, pois a parte do meio está cedendo

Se trilha não for a sua praia, pode substituir Tres Cruces por Iruya no roteiro. A cidade está a 116km de Tilcara e a viagem dura mais de 2 horas. Há poucos horários nesse trecho, então vá no primeiro do dia e programe a volta quando chegar lá.

7. Huacalera + dicas

Não conseguimos visitar essa cidade, que está a 20km de Tilcara, pois só descobrimos a existência lá, e não deu para encaixar no roteiro. Mas passamos por ela de ônibus várias vezes e tem montanhas lindíssimas. Além de um mirante para os cerros coloridos, lá está um monumento que marca o Trópico de Capricórnio, e ruínas de civilizações pré-hispânicas. Acho que vale a pena!

Outras atrações muito visitadas em Jujuy são as Termas de Reys (19km de San Salvador), e as Lagunas de Yala (27km de San Salvador), mas nós priorizamos as atrações que achamos mais bonitas. De lá também é fácil seguir viagem para o Deserto do Atacama, no Chile, ou o Salar de Uyuni, na Bolívia.

8. San Salvador de Jujuy

No retorno da Quebrada de Humahuaca, dedicamos um dia inteiro para conhecer a capital da província de Jujuy, e foi tempo mais que suficiente. As principais atrações ficam no entorno da Plaza Belgrano, no centro da cidade. Lá estão prédios históricos como a Catedral de San Salvador de Jujuy, construída no século XVI, a Casa do Governo, o Cabildo, o Museu Histórico Provincial, a Basílica Menor de San Francisco e o Museu de Arte Sacra, vários centros culturais e outras atrações que podem ser visitadas rapidamente a pé.

san salvador de jujuy
Plaza Belgrano concentra algumas atrações de San Salvador
Onde comer

Lembre-se que em Tres Cruces não tem restaurantes, então leve lanche. Em Uquía também tem poucas opções, mas seguindo nosso roteiro, dá para conciliar ela com Humahuaca, que tem alguns restaurantes no entorno da praça. Em Purmamarca tem ótima oferta de cafés, bares e restaurantes. 

Em Tilcara será difícil decidir onde comer! Há restaurantes para todos os gostos, incluindo alguns sofisticados, além de hamburguerias, pizzarias, diversos cafés, e algumas peñas, que são restaurantes com culinária local e música folclórica ao vivo, bem legais. Todos ficam cheios à noite, aceitam cartão, enfim… por mais essa característica, Tilcara foi nossa cidade preferida na Quebrada da humahuaca.

Em Huacalera e Maimará você ficará um turno, e como são próximas de Tilcara, deixe para almoçar lá antes ou depois do passeio.

Anote algumas dicas básicas:

– Se não quiser visitar as atrações por conta própria, saiba que em Tilcara existem algumas agências que oferecem diversos passeios.

– Brasileiros não precisam de visto nem passaporte para visitar a Argentina. Basta o RG em bom estado de conservação e com menos de 10 anos de expedição. Se preferir, confira como tirar passaporte.

– A vacina de febre amarela não é obrigatória, mas você pode conferir aqui como tirar seu Certificado Internacional de Vacinação.

– Não é obrigatório fazer um seguro viagem para viajar para a Argentina, mas é aconselhável contratar. Use esse comparador de preços e serviços de diversas seguradoras para encontrar o que mais se encaixa às suas necessidades.

– As tomadas de lá são com 3 pinos chatos, então é preciso levar adaptador.

– É tranquilo se virar com o português mesmo, principalmente nos pontos turísticos. Tente aprender o básico, para demonstrar interesse e educação.

o que fazer em jujuy
Cachecol e óculos de sol são fundamentais para se proteger do vento e da poeira. Esse foi comprado lá mesmo na região de Jujuy.
Melhor época para visitar a região da Quebrada da Humahuaca

As temperaturas na região de Jujuy são bastante extremas, ou seja, faz muito frio no inverno e um calor intenso no verão. Nas estações intermediárias, no entanto, as temperaturas são mais amenas e há menor incidência de chuvas.

O ideal é visitar Jujuy entre os meses de março e maio, ou entre setembro e novembro. Assim, você terá céu azulzinho na maior parte do tempo e temperaturas que chegam aos 15º durante o dia. Como Jujuy é uma região seca e de grande altitude, de manhã e à noite as temperaturas caem, podendo chegar a 0°.

Nós fomos no início de setembro e pegamos ótimas temperaturas, marcadas apenas pela secura do ar e pela força dos ventos. Lembre-se de andar com bastante água, protetor solar para pele e para os lábios e carregue sempre casaco e cachecol na mochila.

Festas e celebrações típicas

Para curtir as tradições jujeñas e viver experiências em festas típicas, as mais indicadas são o dia de Pachamama, onde os locais celebram a “Mãe Terra”, principal divindade andina; e o Carnaval, quando os jujeños vãos às ruas fantasiados e viram as noites se divertindo.

As comemorações da Pachamama acontecem durante todo o mês de agosto, mas a festa principal é no primeiro dia do mês. A Quebrada de Humahuaca fica movimentadíssima nessa época, portanto reserve as hospedagens com bastante antecedência.

O Carnaval coincide com a data no Brasil (40 dias antes da Páscoa), e é pura alegria. As ruas ficam coloridas e cheias de gente, há desfiles de bandas e grupos fantasiados. É realmente uma tradição forte em Jujuy.

Qual moeda levar e como trocar dinheiro?

Nós preferimos fazer um câmbio do que dois. Se seu voo tem conexão no aeroporto Ezeiza em Buenos Aires, siga as placas que indicam o Banco de la Nación no saguão de desembarque, que tem a melhor cotação. O funcionamento é 24 horas e a cotação durante a nossa viagem era de 1 BRL = 13,9 ARS.

Se não tiver conexão, é melhor levar pesos do Brasil, pois a cotação em Tilcara era 1 BRL = 10 ARS. Faça uma estimativa de acordo com a cotação da época da sua viagem (use esse site).

Muitos hotéis, lojas, restaurantes, empresas de ônibus e algumas atrações na Quebrada de Humahuaca aceitam cartões de crédito e débito (em ambos os casos a alíquota do IOF para compras internacionais é de 6,38%), o que achamos mais vantajoso do que pagar as taxas de saque internacional. Em alguns lugares só aceitavam a bandeira Visa, então lembre-se de levar mais de um cartão (se puder), e de habilitar para o uso no exterior.

Em Purmamarca, Tilcara e Humahuaca há caixa eletrônico internacional 24 horas, mas as taxas para débito foram bem altas para os saques que fizemos.

 

+ dicas da Argentina:

O que fazer em Puerto Iguazú, na fronteira com Foz do Iguaçu

Onde ficar em Buenos Aires: melhores bairros

Cataratas Argentinas: Parque Nacional de Iguazú

Guia completo para visitar Buenos Aires

 

Eu garanto que as paisagens da região de Jujuy vão te deixar com queixo caído! Se ainda tiver dúvidas, deixe um comentário. E se você gostou desse artigo e acha que ele pode ser útil para alguém, compartilhe!

 

por Camila Coubelle e Nange Sá

Resolva sua viagem aqui
OFERTAS DE HOSPEDAGEM no mundo inteiro com reserva rápida e segura, opções de cancelamento gratuito e pagamento só no check-in com a Booking.com.
ALUGUEL DE CARRO em até 12x no cartão, sem IOF, ou com 5% de desconto no boleto. Compare preços das locadoras no buscador Rentcars.com.
COTAÇÃO DE SEGURO VIAGEM em até 12x ou com desconto no boleto. Compare preços de várias seguradoras no Seguros Promo, já com nosso cupom de desconto VIDASEMPAREDES5 aplicado.
VOCÊ GANHOU R$130 em créditos de viagem para usar na primeira reserva no Airbnb.
PASSAGEM AÉREA em promoção e até 12x no Viajanet, ou com até 25% OFF e 6x no Passagens Promo, ou passagem e pacotes em oferta no Sub Viagens.
CHIP DE INTERNET com plano de dados para mais de 100 países e conexão ilimitada com a EasySim4U ou a Viaje Conectado.
INGRESSO antecipado para atrações, eventos, passeios e transfer no mundo inteiro com melhor preço, comodidade e segurança com a GetYourGuide ou a TourOn.
Ao reservar com nossos parceiros nos links citados acima, recebemos uma pequena comissão. Você garante os melhores serviços e preços, não paga a mais por isso e ainda ajuda a gente a continuar compartilhando dicas de viagem. Muito obrigada e boa viagem! <3



As dicas do vida sem paredes te ajudaram?

Então fale com a gente no FACEBOOK, no INSTAGRAM, no PINTEREST ou no YOUTUBE.
Compartilhe com os amigos!

Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa. Aqui você encontra muitas dicas, roteiros, guias de destinos incríveis pelo mundo. A gente divide nossas experiências para inspirar as suas.

2 comentários em “Jujuy, Argentina: como chegar, o que fazer, dicas e preços

  • 10 de outubro de 2019 em 12:38
    Permalink

    Há horas ando a fim de ir conhecer essa região. Adorei ler as dicas de vocês.
    E parabéns pelas fotos, estão maravilhosas!
    Beijos.

    Resposta
    • 14 de outubro de 2019 em 11:24
      Permalink

      Obrigada, Helen. Nós amamos essa viagem e estamos loucas para que outras pessoas tbm conheçam Jujuy. Quando for, conta pra gente. Beijão =D

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.