Início AMÉRICA DO SUL Machu Picchu: guia completo, como ir, ingressos e dicas

Machu Picchu: guia completo, como ir, ingressos e dicas

Machu Picchu é uma das atrações mais visitadas no mundo todo e o principal ponto turístico do Peru.

Considerada uma das sete maravilhas do mundo moderno e Patrimônio da Humanidade pela Unesco desde 1983, o sítio arqueológico é o tipo de lugar que figura em quase todas as listas de “o que fazer antes morrer”.

Neste artigo, nós vamos te ajudar a se planejar para uma viagem a Machu Picchu.

Saiba como chegar na cidade Inca, como comprar ingressos pela internet, melhor época para visitar e onde se hospedar antes de seguir para a atração.

machu picchu
Machu Picchu é uma das experiências mais incríveis do mundo e um dos principais passeios a partir de Cusco, Peru.

machu picchu
A 2.350 metros acima do nível do mar, Machu Picchu é Patrimônio da Humanidade.

Onde fica Machu Picchu, Peru?

Localizada a 2.350 metros de altitude, Machu Picchu está cravada em uma região montanhosa no coração da Cordilheira dos Andes. A “cidade perdida dos incas” é cercada por diversas outras montanhas no vale do Rio Urubamba, um conjunto de belezas naturais que compõem um cenário único no mundo.

Machu Picchu fica a 74km de Cusco, no Peru, cidade-base para conhecer o sítio arqueológico. De Cusco, é preciso ir para Aguas Calientes, um pueblo pequeno aos pés da cidadela de Machu Picchu.

Existem várias formas de ir para Machu Picchu: de trem, de ônibus e até trilha. Continue lendo para conhecer todas.

Uma breve história sobre Machu Picchu

Machu Picchu é uma cidade erguida no século XV durante o império Inca, no Peru, e sua concepção é considerada um mistério até hoje. Por ser uma fortaleza, acredita-se que era um refúgio para o rei, e um templo para prática de rituais religiosos.

Foi descoberta em 1911 pelo historiador americano Hiram Bingham e, desde então, recebe milhares de turistas que buscam entender como foram construídas as muralhas de pedras, cujos gigantescos blocos foram encaixados sem o uso de cimento ou argamassa.

Além disso, os templos de Machu Picchu foram erguidos levando-se em conta o alinhamento dos astros, sem contar as outras ciências e técnicas de cultivo intrigantes utilizadas pelos povos Incas mais de cinco séculos atrás.

A cidade sagrada dos Incas, como é chamada, é considerada um dos monumentos arquitetônicos mais importantes do mundo.

machu picchu peru
cidade de Machu Picchu é cercada por montanhas e terraças de plantações.

machu picchu peru
Repare nas pedras perfeitamente encaixadas!

Melhor época para visitar Machu Picchu

Sem dúvida, a melhor época para ir à Machu Picchu é no período de seca, que vai de abril a outubro.

No entanto, junho, julho e agosto são considerados altíssima temporada por causa do Solstício de Inverno, comemorado no dia 24 de junho pelos peruanos, e das férias de julho (na América do Sul) e agosto (na Europa e América do Norte).

Nós não recomendamos uma viagem à Machu Picchu entre novembro e fevereiro por causa das chuvas. Além de não aproveitar a atração como se deve, ainda há riscos de deslizamentos nas estradas que levam ao monumento histórico.


>> Garanta seu chip internacional com dados ilimitados para o Peru <<


Quantos dias reservar para viagem a Machu Picchu?

O tour até Machu Picchu pode ser feito em dois dias: um para a viagem de trem, com pernoite em Aguas Calientes, e outro para visitar as ruínas e retornar de trem para Cusco. Se for conhecer apenas Machu Picchu, é possível, portanto, fazer a viagem em um feriado de 4 dias.

Quem pretende acessar Machu Picchu pelas trilhas Inca ou Salkantay, precisa reservar ao menos 7 dias, dois para chegada e partida em Cusco, e 5 para percorrer as trilhas.

Cusco + Machu Picchu

Se tiver tempo suficiente na viagem para conhecer Cusco e as atrações ao redor, nós recomendamos ao menos 6 dias, considerando a ida Machu Picchu de trem.

Se for por alguma das trilhas, aumente a viagem para 10 dias.


>>> O que fazer em Cusco, Peru <<<


Como chegar em Machu Picchu: voos para Cusco

Antes de seguir para Machu Picchu, os brasileiros precisam fazer conexão em Lima, pois não há voos diretos para Cusco.

A Latam oferece voos a partir de São Paulo, Rio de Janeiro e outras capitais, e as passagens custam entre R$ 1300 e R$ 1500 dependendo da época.

Nós usamos bastante os sites ViajaNet e Passagens Promo para encontrar passagens em oferta, vale a pena dar uma olhada.

Outra opção é comprar um voo para Lima e pegar outro avião low cost para Cusco. As empresas que fazem o trajeto são Viva Air Peru, Peruvian, Star Peru e Latam. Esta opção, no entanto, pode sair mais cara e há reclamações quanto a atrasos das companhias. 

Como ir de Lima para Machu Picchu: ônibus para Cusco

Quem prefere viajar por via terrestre, pode ir para Cusco de ônibus, a partir de Lima.

A viagem dura cerca de 22 horas e não é vantajoso para quem tem pouco tempo. As empresas que operam o trecho são Excluciva, Oltrusa e Cruz del Sur. Se for de ônibus, atente-se para o fato de que cada operadora sai de um ponto diferente de Lima.

Ônibus de São Paulo para o Peru

Ir de São Paulo para o Peru de ônibus também não é tarefa fácil, mas é possível. A viação Ormeño oferece um horário por semana, nas quartas às 20h. A viagem para Cusco dura 3 dias e 8 horas e a passagem custa R$ 630 (jul/2017).

Já para Lima a viagem dura 4 dias e 10 horas e a passagem custa R$ 780. Os bilhetes podem ser adquiridos pessoalmente no guichê da Grupo Expresso Ormeño no Terminal Rodoviário do Tietê. Telefone: (11) 2089-1196

Obs.: As informações acima foram repassadas através do telefone da companhia, que aliás, cuuuuusta a atender. Boa sorte!

machu picchu como ir
Machu Picchu não só é uma obra incrível, como está cercada de montanhas e belezas surreais

Viagem casada: Cusco + La Paz

Uma alternativa interessante é conjugar a viagem para Cusco com La Paz, capital da Bolívia. A Latam oferece voos para La Paz, saindo de São Paulo e com conexões em Santiago (Chile), Lima (Peru), ou Santa Cruz de la Sierra (Bolívia).

Depois de explorar a capital boliviana, você pode pegar um ônibus ou van para Copacabana, onde está o Lago Titicaca e a Isla del Sol. De lá, há ônibus que vão direto para Cusco, com duração de cerca de 11 horas.

Para fazer esta viagem, consulte o site Tickets Bolívia, que tem todos os endereços de terminais rodoviários, horários e preços de ônibus entre as cidades turísticas, além de vender as passagens pela internet.


>> Saiba mais: O que fazer em La Paz, Bolívia <<


Como ir de Cusco a Aguas Calientes, onde fica Machu Picchu

> De trem

É a opção mais rápida e confortável de se chegar a Aguas Calientes.  As empresas que operam o trecho são a Peru Rail e Inca Rail (esta última sai apenas de Ollantaytambo).

Os preços variam entre U$ 110 e U$ 360, ida e volta, com opções mais econômicas e de luxo. Algumas agências oferecem o tour de van a partir de Cusco + trem, que pode ser comprado com antecedência pela internet, ou diretamente em Cusco, nas bilheterias das estações.

Uma maneira de economizar nas passagens, é finalizar o passeio pelo Valle Sagrado em Ollantaytambo e, de lá, tomar o trem até Aguas Calientes. Dessa forma, o percurso fica menor (cerca de 1h30) e o ticket do trem pode sair por U$ 90 ida e volta (junho/19).


> Garanta aqui o seu bilhete de trem para Machu Picchu <

> Confira também o trem de luxo com ingresso e tour guiado inclusos <


> Trilha Inca

Considerada uma das melhores caminhadas da América do Sul, a Trilha Inca é uma rota de cerca de 40km através caminhos percorridos pelos Incas até Machu Picchu.

O trekking dura 4 dias e 3 noites e passa por importantes sítios arqueológicos.

Como tem limite de pessoas por dia, as reservas costumam ser feitas com meses de antecedência.

Os preços do trekking pela Trilha Inca variam de acordo com a agência ou com os serviços oferecidos. Atualmente, o valor médio é de U$ 700, incluindo a entrada para Machu Picchu, transporte de ônibus e trem, alimentação completa, guia profissional, cozinheiros, carregadores de bagagem e equipamentos de camping.

As reservas devem ser feitas pela internet através de agências autorizadas pelo Ministério de Cultura do Peru.


>> Reserve seu passeio de 4 dias pela Trilha Inca <<


> Trilha Salkantay

Entre as diversas possibilidades para se chegar a Machu Picchu, nossa escolha foi a radical Trilha Salkantay, de 5 dias e 4 noites, passando por cenários gelados e deslumbrantes da grande cordilheira de Vilcabamba, nos Andes.

Com cerca de 74km em altitudes elevadas, longe de tudo, a trilha tem beleza suficiente para compensar a subida e é mais barata e menos cheia do que a tradicional Trilha Inca.

O trekking, nos mesmos moldes da Trilha Inca, custa cerca de U$ 329. Comprando o tour em Cusco, é possível negociar com as agências e ainda pagar em soles.


 >> Saiba como contratar o tour pela Trilha Salkantay

ou reserve seu trekking na Salkantay com antecedência <<


> De van + caminhada

A forma mais econômica de chegar em Machu Picchu é fazendo uma viagem de van até a hidrelétrica e, de lá, caminhar até Aguas Calientes.

Ao todo, este trajeto dura cerca de oito horas. A caminhada pela hidrelétrica acompanha os trilhos do trem e é bastante movimentada, já que o percurso final da trilha Salkantay também é por ali.

A viagem de van pode ser contratada nas agências em Cusco, no entorno da Plaza de Armas. As passagens saem em torno de 100 Soles, ida e volta (cerca de R$ 126 – junho/19).

D I C A: É importante se atentar para o horário da volta. As últimas vans saem da hidrelétrica às 16h, portanto, é preciso sair de Aguas Calientes, no máximo, até 13h. Pernoitar duas noites em Aguas Calientes é uma boa ideia para quem decide visitar Machu Picchu de van.

trilha machu picchu
A trilha Salkantay, uma das mais incríveis da América do Sul, é uma das opções para chegar em Machu Picchu.

machu picchu trilha
Laguna Umantay é uma das atrações do primeiro dia de Trilha Salkantay

De Aguas Calientes até Machu Picchu

É bom lembrar que todas essas opções levam a Aguas Calientes, o povoado aos pés da cidade inca. A partir dali, existem duas maneiras de se chegar a Machu Picchu:

A pé, subindo as escadarias até o topo da montanha. Esse trajeto dura cerca de 1h, dependendo do seu condicionamento físico. Se tiver ingressos para às 6h, precisará iniciar a subida no primeiro horário, às 5h.

– Nos ônibus que saem a todo o momento de Aguas Calientes. Esses coletivos custam cerca de 39 soles cada trecho  (cerca de R$ 53 – mar/2020) e levam 25 minutos para chegar ao portão de Machu Picchu. Se tiver ingressos para os primeiros horários, compre o ticket do ônibus no dia anterior, pois poderá enfrentar uma fila grande pela manhã (o primeiro ônibus sai às 5h30). É possível comprar o bilhete aqui.

Documentação para viajar ao Peru

Brasileiros não precisam de passaporte para viajar ao Peru, basta apresentar o RG em bom estado e expedido há menos de 10 anos. Porém, se você tiver passaporte, vale a pena levar, já que na portaria de Machu Picchu você pode solicitar um carimbo especial para levar de lembrança. Saiba como tirar o passaporte: passo a passo para solicitar.

O Certificado Internacional de Vacinação também não é obrigatório, porém, se estiver viajando pela Bolívia antes ou depois de estar no Peru, leve o documento, pois é uma exigência do país vizinho.

Se ainda não tem o seu, confira como solicitar o Certificado de Vacinação pessoalmente ou pela internet.

Seguro viagem para o Peru

O Seguro Viagem não é obrigatório para quem visita o Peru, porém é altamente recomendável que você viaje com este tipo de proteção. Principalmente porque o Peru é um país de altitude elevada, o que pode ocasionar problemas como o Soroche (ou mal da altitude), além de ser bastante indicado para quem faz trekking ou vai praticar algum esporte de aventura no país vizinho.

O soroche é um certo mal-estar causado pelo ar rarefeito. Pessoas que vivem mais próximas do nível do mar, quando estão em altitudes elevadas, sentem de incômodos intestinais a fortes dores de cabeça, além da respiração, que fica mais rápida enquanto o corpo tenta se acostumar com o novo clima.

O ideal, é se aclimatar durante um ou dois dias para aproveitar melhor a viagem. Os chás com folhas de coca, que são encontrados facilmente em regiões mais altas, podem ajudar a controlar os sintomas.

Para contratar um seguro que se encaixe no seu estilo de viagem, compare os preços de várias seguradoras no Seguros Promo. Assim, você pode pagar parcelado e ainda aproveita o  nosso cupom de desconto exclusivo: VIDASEMPAREDES5

Como comprar ingresso para Machu Picchu

Antes de decidir a maneira como vai chegar em Machu Picchu, é recomendável que você compre o ingresso para o sítio arqueológico com antecedência, pela internet, no site do Governo do Peru.

O site é simples e intuitivo, e você pode pagar com cartões Visa, Master Card ou boleto bancário.

É importante comprar os ingressos com antecedência porque há limite de pessoas (2.500 por dia) e horários específicos de entrada em Machu Picchu. Você ainda deve escolher, no ato da compra, se quer fazer o trekking até as montanhas Waynapicchu e Machupicchu, que também têm um número máximo de visitantes por horário.

Dependendo da temporada (na baixa, principalmente), é possível comprar ingressos mais perto da data da viagem ou mesmo assim que chegar em Cusco.

Mas, se você for numa época mais cheia, não tiver flexibilidade na viagem e não quiser correr o risco de perder o passeio, vale a pena comprar antes e garantir a vaga.

Se tiver dificuldades para comprar no site oficial, use o GetYourGuide, que efetua a compra e envia para você.

Obs.: Os ingressos têm valor fixo, independente da data em que forem comprados.

machu picchu
Machu Picchu e suas lhamas fofíssimas

Cidade Sagrada dos Incas: tipos de ingressos

> Ingresso Machu Picchu:

Válido para visitar o sítio arqueológico, em um dos três circuitos oferecidos.

Circuito 1: tem duração de três horas e percorre todos os principais pontos da cidade Inca. É um tour mais completo e também o mais indicado.

Circuito 2: tem 2h30 de duração e vai até os pontos mais centrais de Machu Picchu.

Circuito 3: vai até o centro de Machu Picchu, mas por um caminho alternativo, mais indicado para pessoas com dificuldade de locomoção.

>> Preço: 152 Soles (cerca de R$ 191) para adultos e 77 Soles (cerca de R$ 97) para estudantes (para qualquer roteiro) – valores de janeiro/20

ATENÇÃO: Todos os roteiros são demarcados e não é possível fazer o caminho de volta. Se quiser fazer mais de um roteiro, terá de comprar outro ingresso.

> Ingresso Machu Picchu + Montanha Waynapicchu:

Nesta opção de ingresso, o visitante pode subir até a Montanha Waynapicchu (ou Huayna Picchu), cartão-postal do sítio arqueológico. O trekking de ida e volta dura cerca de três horas, passando por várias ruínas e locais com escadas bem íngremes. Após a descida, o visitante ainda pode ficar mais três horas caminhando pelas ruínas, dentro de um circuito específico.

Quem optar por visitar a montanha, precisa, obrigatoriamente, escolher os horários de 6h, 7h ou 8h para entrar no Parque. Isso porque o acesso à Waynapicchu ocorre somente entre 7h e 8h ou entre 10h e 11h da manhã. A escolha dos horários deve ser feita no ato da compra.

>> Preço: 200 Soles (cerca de R$ 252) para adultos e 125 Soles (cerca de R$ 157) para estudantes. – Valores de janeiro/20

> Ingresso Machu Picchu + Montanha Machupicchu:

Este ingresso também permite a visita à cidade e acesso à Montanha Machupicchu. Estima-se cerca de 5h para ir voltar pela trilha e o visitante pode permanecer por mais três horas na cidadela.

Assim como na outra montanha, quem decide pelo trekking precisa escolher os horários de 6h, 7h ou 8h para entrar. O acesso à Montanha Machupicchu ocorre somente entre 7h e 8h ou entre 9h e 10h da manhã.

>> Preço: 200 Soles (cerca de R$ 252) para adultos e 125 Soles (cerca de R$ 157) para estudantes. – Valores de janeiro/20

ATENÇÃO: São permitidos apenas 400 visitantes por dia em cada montanha. Se quiser fazer alguma das trilhas, compre o ingresso com antecedência.

>> Confira as novas regras de visitação de Machu Picchu no final deste artigo.

Onde se hospedar em Aguas Calientes

Dependendo do ingresso que você comprar para Machu Picchu (de manhã ou que contemplem as montanhas), será preciso passar uma ou duas noites em Aguas Calientes, ou Machu Picchu Pueblo, como é conhecida.

A cidade é muito pequena e serve mesmo para uma passagem rápida de viajantes.

Como os hóspedes estão ali, na maioria das vezes, apenas para visitar Machu Picchu, os hotéis, pousadas e hostels já estão acostumados com uma estadia diferente.

Eles oferecem kits de lanche para quem vai sair muito cedo e não tem tempo para tomar café da manhã (alguns estão inclusos na reserva e outros são pagos à parte) e, quase todos, têm espaço para guardar as bagagens dos hóspedes, que vão a Machu Picchu apenas com uma mochila pequena (não se esqueça de trancar sua mala com cadeado).

Na vila há vários restaurantes, alguns simples, outros mais sofisticados, além de muitas lojinhas de souvenires.

Hotéis em Aguas Calientes

Entre os hotéis com ótimo custo-benefício, café da manhã e proximidade com as estações de trem e ônibus estão o Inti Awki, o Mantu Boutique, o Mapiland e o The Tayta Hostal. Já as opções mais sofisticadas, para quem busca extremo conforto, são o Jaya Suite Machupicchu e o Tierra Viva Machu Picchu.

Confira mais ofertas de hospedagem em Aguas Calientes, ou veja as opções disponíveis no Airbnb. Se for sua primeira reserva na plataforma, use esse link para se cadastrar e ganhar um desconto de R$ 130.


>> Comida Peruana: quais pratos típicos provar <<


Vigem à Machu Picchu: novas regras de visitação

Recentemente, o governo peruano decidiu mudar algumas regras de visitação em Machu Picchu. Essas normas, em vigor desde 2019, incluem horários determinados para a entrada no parque e tempo máximo de permanência no local.

Veja como ficaram as regras para visitar Machu Picchu:

1- Ingresso com hora marcada

Atualmente, os ingressos para Machu Picchu têm hora específica de entrada, que só é liberada no horário estipulado. Ou seja, se você comprou um ingresso para 8h e chegou às 7h, não poderá entrar e terá que esperar pelo horário marcado no seu bilhete.

São nove horários disponíveis e você pode consultar a quantidade de tickets livres no site do governo peruano.

D I C A: Nós recomendamos a visita no primeiro horário, às 6h, para ver o sol nascendo e iluminando a cidade sagrada.

2- Tempo máximo de visitação (só do sítio)

Quando fomos a Machu Picchu, em 2016, era possível passar o dia inteiro caminhando pela cidadela. Hoje, essa regra não vale mais e o tempo máximo de permanência no sítio arqueológico é de 4 horas.

O tempo de visitação depende do circuito escolhido (veja no tópico de compra de ingressos), separados por adesivos coloridos pregados logo na entrada.

3 – Tempo máximo de visitação (para subir nas montanhas)

Quem vai fazer a trilha até uma das montanhas (não é permitido fazer as duas no mesmo dia), ganha um pouco mais de tempo para a visita.

São seis horas para quem vai subir Waynapicchu e oito horas para quem visita a Montanha Machupicchu, considerando que o turista ainda vai fazer um dos circuitos pela cidade.

4- Guia obrigatório

Hoje em dia, não é mais permitido entrar no parque sem um guia (essa regra vale desde 2017). Mas não se preocupe, pois os guias ficam em frente aos portões da cidadela e é possível contratá-los na hora da visita.

Os valores variam de 120 a 150 Soles (entre R$ 150 e R$ 190 – junho/19) para um grupo de 4 pessoas. Se estiver sozinho ou em casal, pode se juntar a outros grupos no local.

Se preferir contatar um guia com antecedência, há alguns contatos disponíveis no site do governo, o mesmo usado para comprar os ingressos.

>> A entrada sem guia só é permitida se o visitante comprar um segundo ingresso para o mesmo dia. Neste caso, é autorizado entrar sem um guia somente na segunda visita.

6- Proibição de reingresso

Antes, era possível sair duas vezes do Parque – para almoçar ou ir ao banheiro – e retornar para continuar a visita. Hoje isso não é mais possível, sendo que, ao terminar o circuito, o visitante deve deixar a cidade.

Caso queira retornar para fazer outro roteiro, terá de pagar um novo ingresso.

O que fazer em Machu Picchu: como foi nossa visita ao sítio arqueológico

Depois de quatro dias na trilha Salkantay, chegamos a pé em Aguas Calientes. E nos dia seguinte, às 4h30 já estávamos no portão do sítio arqueológico para subir a pé.

As regras ainda eram antigas e o início do nosso tour era guiado. Nosso guia, Carlos, passou pelos pontos mais emblemáticos da cidade e nos explicou o significado das construções, como eram feitas, para que eram feitas.

Os templos, a “tecnologia” usada para construir cada cantinho. E a cidade começava a ficar ainda mais incrível.

Alguns pontos que nos chamaram a atenção foram a La Tumba Real del Machu Picchu, alinhada com a torre do Templo del Sol, cheia de símbolos talhados. A teoria é de que foi a tumba do representante mais alto dos incas e de outros membros da aristocracia.

Outro ponto interessante é a Roca Sagrada. As teorias são de que ela orienta sobre as entradas da montanha Wayna Picchu e o lado norte da cidade; ou representa o Cerro Pumasillo com finalidades ritualísticas ou de observação dos astros.

Entre todas as atrações dentro de Machu Picchu, creio que a mais famosa seja a Cruz Andina, localizada no El Templo de las Tres Ventanas.

As três ventanas, ou janelas, indicam a localização exata da entrada do sol, e neste ponto se observa uma sombra perfeita no chão, que “forma” a cruz inteira (metade pedra, metade sombra). Isso ocorre apenas uma vez ao ano, no dia 21 de junho, indicando o solstício de inverno e o começo do ano no calendário inca.

Depois do tour guiado, nós subimos a montanha Waynapicchu e em seguida, fomos em Intipunku, a porta do sol. É por lá que chegam os aventureiros da trilha Inca, e a visão de lá de cima também é incrível.

Como as regras permitiam, depois de visitar tudo, não fomos embora: demos mais uma volta circular no sítio arqueológico, e depois sentamos para curtir o fim de tarde lá.

A descida a pé foi cansativa, mas esse foi um dos dias mais incríveis de nossas vidas.

Vida sem Paredes - Machu Picchu (7)
As montanhas espetaculares vistas de Intipunku

Dicas para a visita à Machu Picchu

– Use roupas confortáveis e evite sapatos escorregadios ou com salto.

– Leve casacos impermeáveis e/ou capa de chuva, pois pode chover mesmo na temporada de seca.

– Não esqueça do chapéu/boné e do protetor solar.

– Leve bastante água na mochila, pois a caminhada será longa.

– Leve seus documentos e, se for usar o passaporte, não esqueça do carimbo promocional de recordação.

Pratique o bom senso

Pela importância de Machu Picchu e pelo nível de preservação em que a cidade se encontra, nunca é demais pedir para que os visitantes cuidem do lugar, apreciando as construções com cuidado.

Machu Picchu recebe turistas de todo o mundo e mesmo assim mantém um alto nível de conservação. Bora fazer a nossa parte, não é mesmo?!

– Não jogue lixo nas ruínas

– Não escreva ou desenhe nas pedras

– Não leve nada com você – nem uma pedrinha pequena

– Respeite as regras do local


Leia também:

O que fazer em Cusco

Tour no Valle Sagrado dos Incas, em Cusco

O que fazer em La Paz, Bolívia

Trilha Salkantay: como contratar, o que levar e dicas

Machu Picchu é um dos lugares mais incríveis do Peru e do mundo e a gente espera de coração que este guia te ajude a organizar uma viagem tão incrível quanto foi a nossa!

por Nange Sá

Resolva sua viagem aqui
OFERTAS DE HOSPEDAGEM no mundo inteiro com reserva rápida e segura, opções de cancelamento gratuito e pagamento só no check-in com a Booking.com.
ALUGUEL DE CARRO em até 10x no cartão, sem IOF, ou com 5% de desconto no boleto. Compare preços das locadoras no buscador Rentcars.com.
COTAÇÃO DE SEGURO VIAGEM em até 12x ou com desconto no boleto. Compare preços de várias seguradoras no Seguros Promo, já com nosso cupom de desconto VIDASEMPAREDES5 aplicado.
VOCÊ GANHOU R$130 em créditos de viagem para usar na primeira reserva no Airbnb.
PASSAGEM AÉREA em promoção e até 12x no Viajanet, ou com até 25% OFF e 6x no Passagens Promo.
CHIP DE INTERNET com plano de dados para mais de 100 países e conexão ilimitada com a EasySim4U ou a Viaje Conectado.
INGRESSO antecipado para atrações, eventos, passeios e transfer no mundo inteiro com melhor preço, comodidade e segurança com a GetYourGuide ou a TourOn.
Ao reservar com nossos parceiros nos links citados acima, recebemos uma pequena comissão. Você garante os melhores serviços e preços, não paga a mais por isso e ainda ajuda a gente a continuar compartilhando dicas de viagem. Muito obrigada e boa viagem! <3



As dicas do vida sem paredes te ajudaram?

Então fale com a gente no FACEBOOK, no INSTAGRAM, no PINTEREST ou no YOUTUBE.
Vida sem Paredeshttps://vidasemparedes.com.br/
Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa. Aqui você encontra muitas dicas, roteiros, guias de destinos incríveis pelo mundo. A gente divide nossas experiências para inspirar as suas.

13 COMENTÁRIOS

  1. Olá, obrigado pelo ótimo relato.

    Bom, minha dúvida é, irei ano que vem, ainda tenho tempo para planejar, posso escolher qualquer época entre Março à Novembro (qual me recomenda ?! rs), minha dúvida é como chego de Cusco à Machu Picchu?

    Outra dúvida, vou ficar apenas 3 dias, dada a sua experiência o que consigo aproveitar lá, me recomendaria o que?

    PS: Vai eu e minha esposa

    • Olá Gustavo, tudo bem? Que bom que gostou! Você ficará 3 dias em Cusco? Esse período tem menos possibilidades de chuvas.. eu escolheria maio ou agosto (junho e julho são altíssima temporada, tudo mais cheio). Para ir de Cusco à Machu Picchu, a forma mais “tradicional” é de trem. É possível sair no fim da tarde de um determinado dia, dormir em Aguas Callientes, visitar Machu Picchu de manhã, e retornar de trem após o almoço. Qualquer dúvida, só falar. Abraços!

  2. Olá!
    Vou a Machu Picchu em julho e quero comprar meu ingresso já, pois é alta temporada. Mas penso talvez em contratar uma agência em Cusco para fazer o trajeto e a visita guiada. Pra qual horário devo comprar os ingressos? Tem que ser o das 6am? Se sim, vc acha que esse é o melhor horário pra visita? Ah, tô pensando em subir pra Machu Picchu de ônibus, pra economizar as pernas rs….

    • Olá, Michele. Julho é tempo mais seco, então qualquer horário que você comprar será válido. Se não for fazer nenhuma montanha, vá pela parte da tarde, assim não precisa madrugar. Como não se pode mais entrar sem guia em MP, você tem a opção de contratar o passeio (com van, trem e guia) nas agências de Cusco ou mesmo contratar um guia na porta de MP. Existem vários deles formando grupos diante da portaria. Sobre voltar para Cusco de forma barata, isso vai ser mais difícil. Pq existem van que fazem o trajeto, mas como a estrada é muito perigosa, é arriscado usar esse serviço. O mais seguro é ir de trem e o preço mais barato vai ser de cerca de 90 dólares (ida e volta). Quem faz o trajeto até Águas Calientes de trem são a Inca Rail e a Peru Rail. A Inca Rail parte somente da estação de Ollantaytambo. Mas você pode contratar um transfer de Cusco para lá com a própria empresa. Já a Peru Rail passa por 3 estações (Poroy, Urubamba e Ollantaytambo). Nos sites das duas empresas vc consegue ver os horários e já comprar as passagens.

  3. Que boas dicas de viagem, o que você precisa saber antes de viajar para Cusco e Machu Picchu, quando e onde comprar seus ingressos (é verdade, em algumas agências em Cusco, eles são muito mais confortáveis para comprar), que roupa levar para sua visita, mas você tem que ter cuidado com as chamas, elas podem cuspir em você. 🙂

  4. […] Machu Picchu: contamos como foi a visita aqui e organizamos algumas dicas práticas nesse post. […]

  5. […] Dicas Infalíveis Para o Passeio em Machu Picchu: veja esse post completo sobre passeios em Machu Picchu que responde perguntas frequentes como o que será que eu levo na mochila? Que roupa usar? Lá faz frio ou calor? Chove, não chove? […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.