7 coisas para fazer em Sana (RJ)

 

Quando relembrei as melhores coisas para fazer em Sana percebi como é incrível o fato de um lugarzinho onde o tempo parece que parou ter opções suficientes para encantar qualquer um que busca um pouco de tranquilidade e belas paisagens. O destino é muito procurado por quem busca contato com a natureza, trilhas, cachoeiras e rusticidade. Pelas poucas ruas do Arraial do Sana, vemos muitos jovens aproveitando a energia boa de lá.

Conheça melhor o local, confira o que fazer, veja como chegar nas cachoeiras, onde, comer, onde ficar e como chegar em Sana.

Antes de continuar, dê o play em uma trilha sonora, que tem, inclusive o som da banda local, Raiz do Sana.

Vida sem Paredes - Sana (6)

Vale do Peito de Pombo

 

O Arraial do Sana

 

Sana é aquele tipo de lugar que muita gente nunca ouviu falar e o restante até ouviu, mas sempre imaginou que ficasse bem bem distante. De fato, é um arraial com poucos habitantes, clima de interior, pessoas hospitaleiras e uma estradinha de terra para chegar. Eu estava em Lumiar – distrito de nova Friburgo que fica bem perto – quando fui para esse vilarejo que tanto tinha ouvido falar. Depois, confira aqui o post com dicas para quem quer conhecer Lumiar, que aliás, é tão legal quanto Sana.

O arraial de Sana, 6º distrito de Macaé, faz parte de uma Unidade de Conservação da Natureza de uso sustentável, do tipo Área de Proteção Ambiental (APA), e é cercado de vários rios que fazem da região um dos destinos preferidos para quem quer sombra e água fresca. E põe fresca nisso! As águas geladíssimas das várias cachoeiras fazem a gente se sentir renovado. O lugar oferece diversão da forma mais perfeita possível: com vários cantinhos para explorar ou ficar simplesmente sentindo o tempo quase não passar.

Antes de chegar no Arraial, a primeira parada é na Barra do Sana, onde o rio Sana encontra o rio Macaé. Depois de mais 6 quilômetros de estrada de terra, o Arraial em que vive a maior parte da população se revela como um lugar acolhedor. E ainda existe a região Cabeceira do Sana, onde nasce o rio que deu nome ao lugar e que corta todo o distrito, recebendo em seu curso pequenos e médios afluentes como o córrego Peito de Pombo, o rio Andorinhas, onde está a Cachoeira das Andorinhas, os córregos São Bento e da Boa Sorte, entre outros.

Inclusive, tanto o Sana quanto outros córregos cortam o arraial, e muitos preferem ficar por ali mesmo, ou se refrescando nos campings cujo “quintal” está no caminho das águas. Parece uma realidade paralela, e para garantir que toda a magia e encantamento fiquem guardados para sempre na memória, se liga nas dicas:

Vida sem Paredes - Sana (7)

Minha mochila no portal na entrada. Até o arraial são mais 7 Km de estrada de chão.





 

As melhores coisas para fazer em Sana:

 

1. Descer no escorregador natural da Cachoeira do Escorrega

 

É legal porque tem uma paradinha no meio, antes de chegar no poço. Aqui é onde fica a maioria das famílias, e onde as “crianças adultas” fazem questão de parar antes de seguir para as cachoeiras de cima. Tem um poço calmo e várias pedras onde o pessoal gosta de ficar sentado. É a primeira cachoeira depois de uma trilha sinalizada, rápida e leve em meio ao Vale do Rio do Peito de Pombo.

Vida sem Paredes - Sana (8)

Cachoeira do Escorrega

 

2. Mergulhar no poço da Cachoeira do Pai

 

Nada como uma injeção de ânimo nas veias. O poço é um convite para um mergulho radical naquelas águas geladas e revoltas. A sequência de Cachoeiras – 7 Quedas, do Pai, do Filho e da Mãe ficam na mesma terceira porteira à esquerda. Quando se adentra essa porteira o sentimento de descoberta te envolve de tal maneira, que você não sossega até ver os quatro cantos da abundância de água das quedas. Essa cachoeira fica mais acima da cachoeira do Escorrega.

Vida sem Paredes - Sana (2)

Cachoeira do Pai

 

3. Deitar sob o sol na pedra da Cachoeira da Mãe

 

Depois de atravessar o rio, na outra margem, a trilha continua, agora descendo e passando para a generosa “família” de águas deliciosas do Sana. A Cachoeira do Filho fica protegida no meio, e com mais alguns passos, alcança-se a da Mãe, a maior delas, onde também é possível mergulhar ou descer no escorregador ao lado. Depois do poço profundo, há uma laje de pedra para se ficar sentado ao sol admirando a beleza ao redor.

Vida sem Paredes - Cachoeiras do Arraial do Sana - RJ(3)

Cachoeira da Mãe

 

4. Subir a Pedra do Peito de Pombo

A subida não é leve, mas o visual é compensador: do alto dos 1.400 metros de altitude do maior cartão-postal de Sana, a pedra que parece colocada à mão, formando uma boneca russa da natureza e lembrando um pombo pousado, oferece uma exuberante visão 360º das montanhas da Serra do Mar, do litoral e dos vilarejos do entorno do Vale do rio que dá nome ao pico. Confira o relato da minha subida aqui.

Vida sem Paredes - Pedra do Peito de Pombo (3)

Pedra do Peito de Pombo – 1.400 metros de altitude

 

5. Ver o jequitibá gigante no centro

Bem no meio do arraial, na rua principal, o jequitibá centenário se impõe de maneira imponente com seu enorme tronco. Pode ser avistado de vários pontos da vila, e seu esplendor é um exemplo da grandiosidade da natureza. Patrimônio de Sana!

Vida sem Paredes - Sana - Macaé - RJ(13)

Jequitibá

 

6. Conversar nos barzinhos da rua principal

Inusitados, em meio a árvores, com a rusticidade inerente ao lugar, quem fica ali conversando, beliscando ou brindando com os amigos ganha em todos os aspectos. Tudo ali faz o tempo passar devagar, e na simplicidade das mesas dos bares é onde a gente relembra os mergulhos do dia, a água gelada da vez e onde registra para sempre na memória os dias calmos em meios às montanhas acolhedoras do Sana.

Fachada da Feira CriaSana, no centro do Arraial

Fachada da Feira CriaSana, no centro do Arraial

 

7. Curtir um forró pé de serra

Dizem que é de rodar e dançar até suar. Dizem. Porque eu não tive a chance de conhecer, já que durante a semana a vila fica mais vazia. Apenas ouvi falar, mas sei que posso incluir nessa lista de olhos fechados, porque com base em tudo que vivi no Sana, só posso esperar que esse forró seja mara! É um motivo que vai me levar de volta em breve para lá! Partiu?

O reggae é outro ritmo característico da vila e embala os melhores momentos em meio a tudo que há e bom no Sana. Inclusive, tem um festival, o Sana Reggae Festival, que atrai muita gente em busca de música boa em um lugar que tem tudo a ver com a paz e a energia que o reggae transmite. Fica a dica!

Curtiu as dicas? Então curta nossa página para acompanhar outras dicas de viagem:

 

As cachoeiras de Sana são tesouros escondidos no meio da selva, com águas hipnotizantes, que fazem a gente ficar ali apenas ouvindo o som forte da queda. Parece que o nosso corpo entra na frequência desse som, quase que em um diálogo. É realmente um lugar encantador, e que, com certeza, pode oferecer mais coisas do que as citadas aqui, mas você vai ter que ir lá descobrir!

 

Como chegar nas cachoeiras

As cachoeiras citadas ficam no mesmo caminho, acessível por trilha rápida e sinalizada. No centro há uma placa indicando esse caminho, onde é possível chegar de carro até certo ponto. Mas fica a dica: entre correr o risco de não encontrar lugar para deixar o carro e curtir uma caminhada sem pressa em meio à natureza, a segunda opção é melhor.

 

Vida sem Paredes - Sana (10)

Cachoeira 7 Quedas

Vida sem Paredes - Sana (5)

Cachoeira 7 Quedas

Vida sem Paredes - Sana (11)

7 Quedas

 

Dicas para quem vai visitar Sana

  1. É cobrada uma taxa de acesso às trilhas e cachoeiras no valor de R$10,00 (junho de 2017). O pagamento é feito perto do estacionamento e uma pulseira é colocada no braço dos visitantes.
  2. A CriaSana é uma Feira social de integração que fica em frente a praça principal e tem horário de funcionamento: de sexta a domingo, das 9h às 22h. Confira aqui.
  3. Não jogue lixo em meio à natureza e respeite as pessoas e locais do arraial.
  4. Não há caixas eletrônicos no Arraial do Sana e muitos estabelecimentos não aceitam cartão.
  5. Há sinal das operadoras Tim efgoo Oi.
  6. A maioria das pousadas e campings oferecem Wi-fi.
  7. Base Operacional da Secretaria de Ambiente e Defesa Civil Sana: (22)2793-2760
  8. Guia Zé Geraldo – leva ao Peito de Pombo e outras trilhas: (22) 98825-6917
  9. O mercado Grativol fica aberto de 8h às 20h e aceita cartões de débito e crédito.

 

Onde ficar em Sana

 

Sana tem diversas opções de hospedagem, com pousadinhas simpáticas e hostels, mas o que mais se encontra são campings. Confira algumas opções abaixo e consulte as ofertas da Booking.com nesse link. (Se reservar através dele, você estará colaborando para que o blog continue compartilhando as melhores dicas de viagem sem pagar nada a mais por isso. Obrigada!)

 

Onde comer em Sana

 

É possível comer bem em Sana e se você curte pizzas e massas, vale a pena visitar o Alquimia Pizzaria e Restaurante, com cozinha variada e especialidade em massas caseiras, aberto de quarta a domingo a partir das 11h. Quem procurar petiscos, comida caseira, peixes e frutos do mar, deve ir ao Cêh Achegue Bar e Restaurante, na rua principal. Se a ideia é um lanche rápido, visite a Lanchonete Sabor do Açaí e se for comida self-service, vá ao Macaxeira Restaurante.

Fique atendo: a maioria dos bares e alguns restaurantes não funcionam durante a semana. Fiquei em Sana de segunda a quarta e o único restaurante que encontrei aberto foi o da Pousada Riacho Doce. É self-service com valor de R$ 28,00 o quilo, com uma comidinha caseira bem gostosa. Funciona até às 16h.

 

Melhor época

O arraial tem um clima agradável e estações bem definidas. A melhor época para fazer trilhas no Sana é entre maio e setembro, período de estiagem das chuvas. Para curtir as cachoeiras, vá no verão, mas lembre-se que em qualquer possibilidade de pancadas de chuva, é perigoso ficar próximo das cachoeiras.

Para curtir o Sana Reggae Festival vá durante o mês de janeiro.

 

Como Chegar em Sana

 

Sana fica a menos de 1 hora de Lumiar, o distrito de Nova Friburgo que visitei nessa mesma viagem e há ônibus ligando ambos.
Os aeroportos mais próximas para quem quer visitar Sana são o Aeroporto Santos Dumont e o Galeão, ambos no Rio de Janeiro. Se desejar alugar um carro, compare os preços, encontre a locadora mais barata e reserve aqui mesmo nesse link.

Quem vem do Rio de Janeiro de carro deve seguir pela BR-101 em direção ao município de Casimiro de Abreu e ao chegar na Rodoviária da cidade, passar para o lado esquerdo da pista (sentido RJ) através do rodo e seguir por cerca de 20 quilômetros até o Portal do Sana (asfalto), e mais 6 quilômetros de estrada de terra até o centro do Arraial do Sana. Ao todo, são cerca de 165 quilômetros.

Quem vem de Macaé via BR-101 segue até a chegada de Casimiro de Abreu e logo após o posto de gasolina, segue para Sana no mesmo trajeto acima, em um total de 82 quilômetros.

Quem vem de São Paulo deve seguir pela Rodovia Presidente Dutra, depois Av. Brasil e Ponte Rio Niterói, tomando a BR-101 até Casimiro de Abreu e seguir o mesmo trajeto já citado. Ao todo, são cerca de 590 quilômetros.

A empresa de ônibus que liga Rio de Janeiro, Macaé e Campos à Casimiro de Abreu é a Auto Viação 1001, com vários horários ao longo do dia. A viação Kaissara liga São Paulo a Macaé e a viação Útil liga Belo Horizonte a Macaé.

A empresa Rápido Macaense liga Casimiro de Abreu ao Sana com ônibus saindo da Rodoviária diariamente de hora em hora e passagem por R$ 6,90 (atualizado em novembro de 2016). Já de Macaé, a passagem custa R$ 1,00 e funciona diariamente nos seguintes horários:

  • Saindo do Portal do Sana: 7h, 11h, 15h e 20h
  • Saindo do Frade: 6h, 9h, 13h, 18h e 21h

 

Distâncias até Sana:

585 Km de Belo Horizonte – MG
283 Km de Juiz de Fora – MG
77 Km de Macaé – RJ
61 Km de Nova Friburgo – RJ
158 Km do Rio de Janeiro – RJ
580 Km de São Paulo – SP
409 Km de Vitória – ES

 

Sana, Macaé – RJ: de 300 a 600 m. de altitude | 220V

Data da viagem: dezembro de 2015

 

por Camila Coubelle

Sobre Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa.

Adicionar a favoritos link permanente.

9 Comments

  1. Marcelo souza dos Reis

    Opa! muito bom seu blog ! só três observações ,Tem um lugar lindo Chamado Taba Pindorama que é um horto medicinal com área de Camping onde vc se informa com o Próprio senhor Jamil sobre os primórdios do lugar e sobre plantas medicinais,outro ponto vc colocou 283 kms do Rio acho que são 183 rsrs e se o visitante ouvir o primeiro cd do Raiz do Sana já chega lá por dentro do arraial.

    • ops! corrigido Marcelo, obrigada! Valeu também pelas dicas, eu não perco esse lugar na próxima vez de jeito nenhum! Você é de Sana? abs

  2. Pingback:Pedra do Peito de Pombo: mais uma conquista solo | Vida sem Paredes

  3. Parece ser muito bom 🙂

    Beijinho,

  4. Pingback:Partiu conhecer as cachoeiras em Lumiar | Vida sem Paredes

  5. Taba Lindorama.melhor lugar que já conheci.Para quem quer paz espiritual não conheço nada melhor.Natureza linda.

  6. Não conheço Sana, mas está nk a lista para esse semestre. Quem já conhece sabe me informar se três dias são suficientes para aproveitar o lugar? Ou seria muito? Ou pouco? Rs obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *