Na trilha para o Pico das Agulhas Negras em Itatiaia

 

 

O Pico das Agulhas Negras encanta pela peculiaridade de suas formas esculpidas pelo tempo. Encanta mais ainda pelos visuais incríveis com que presenteia quem percorre os 11 quilômetros de ida e volta na trilha até seu cume com 2.790 metros de altitude, que lhe confere o título de 5º ponto mais alto do Brasil. Além disso, é o ponto mais alto do estado do Rio de Janeiro e o mais alto do Parque Nacional de Itatiaia, o primeiro parque nacional do Brasil, localizado na Serra da Mantiqueira, entre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Um lugar marcante! Seus detalhes e recortes em pedras o tornam único e surpreendente. O Pico das Agulhas Negras tem esse nome por causa das suas várias canaletas que lembram agulhas, formadas por atividades vulcânicas. A montanha tem várias vias de escalada e uma trilha que envolve uma escalaminhada desafiadora. A recompensa é uma visão privilegiada das montanhas ao redor. É possível avistar o Morro do Couto e o Maciço das Prateleiras, também no Parque Nacional de Itatiaia, a Serra Fina ao fundo e o Pico do Papagaio, em Aiuruoca, Sul de Minas.

Cume das Agulhas Negra

Trilhas por fendas e paredões rochosos com visuais incríveis

Milhares de canaletas finas que lembram agulhas

Visual de tirar o fôlego

 

Na trilha para o Pico das Agulhas Negras

 

Confira aqui como é a trilha, as atrações vistas no caminho, como chegar na parte alta do Parque Nacional de Itatiaia e dicas para quem vai encarar a aventura.

Eu estava com um grupo de 15 pessoas e dois guias e levamos cerca de 4 horas do Abrigo Rebouças até o cume, sempre no ritmo do mais lento. Isto é, mesmo que os mais rápidos avançassem, em certos pontos era preciso esperar o restante do grupo.

 

Como chegar até a Garganta do Registro

 

A Garganta do Registro está a 1.669 metros de altitude e fica perto de Itamonte, cidadezinha do Sul de Minas cercada pelas montanhas da Mantiqueira. Resende é a maior cidade de referência perto de Itamonte.

Os aeroportos mais próximos do Parque Nacional de Itatiaia são o Aeroporto RIOgaleão Internacional Tom Jobim e o Aeroporto Santos Dumont, ambos a pouco mais de 200 quilômetros.

De carro a partir do Rio de Janeiro ou de São Paulo, o acesso é pela Rodovia Presidente Dutra (BR-116) até o distrito de Engenheiro Passos. Em seguida, pela BR-354 em direção a Caxambu. Quem vem do Rio passa por Resende e Itatiaia, onde há um posto de pedágio (R$ 13,80 em abril/2017) e deve ficar atento à saída 330 em Engenheiro Passos. Já quem vem de São Paulo passa por Queluz e segue até a mesma saída.

A Garganta do Registro está a 23 quilômetros, por uma estrada cheia de curvas, mas muita beleza. Uma vez na Garganta do Registro, há alguns estabelecimentos comerciais e placas sinalizando a estrada de terra até o Posto Marcão.

 

Da Garganta do Registro até a Entrada do Parque no Posto Marcão

 

Para chegar ao Posto Marcão, onde está a guarita de entrada para a parte alta do parque, são cerca de 13 quilômetros de estrada de terra em condições razoáveis (foi arrumada). A estrada tem várias curvas, a subida é lenta e à medida que vamos avançando já começamos a visualizar as montanhas ao redor.

 

Do Posto Marcão ao Abrigo Rebouças

 

São cerca de 3 quilômetros em estrada plana e para quem vai ficar no abrigo ou no camping é possível ir de carro até lá. Ou ir até lá para “descarregar” o pessoal. Mas saiba que a estrada tem muitas pedras e buracos. O abrigo está a 2.350 metros de altitude, tem banheiros, mesas e uma vista muito bonita.

Portaria do parque no Posto Marcão | Abrigo Rebouças (clique para ver maior)

 

Do Abrigo Rebouças até a Ponte Pênsil

 

Logo depois do abrigo, passando por um reservatório de águas naturais, inicia um trecho com cerca de 1,3 quilômetros em uma trilha bem marcada que intercala blocos de pedra e áreas alagadas até a Ponte Pênsil sobre o Rio Negro. Essa parte é bem plana.

 

Da Ponte Pênsil, passando pela bifurcação, até a base do Pico das Agulhas Negras

 

Ainda em trilha plana, com mais um pouco de caminhada – cerca de 700 metros – avistamos uma placa que indica a trilha para Agulhas Negras e para a Pedra do Altar e Cachoeira do Aiuruoca. Logo depois da placa há o último ponto de água antes do cume, geladinha e cristalina. Esse é um ótimo lugar para uma foto das Prateleiras e das Agulhas Negras. Há uma placa indicando a altitude de 2.430 da base.

Na base do Pico das Agulhas Negras

 

Da base até o cume do Pico das Agulhas Negras

 

Aqui começa o trecho de pedra cheio de canaletas até um platô. Esse é o trecho mais extenuante, com várias rampas, degraus de pedras, passagens que demandam muita atenção e muitas possibilidades de caminhos, de forma que é preciso ir “escolhendo” o melhor lugar para pisar. Alguns trechos são escorregadios, demandam atenção e até um certo “contorcionismo” para desviar de pedras e algumas passagens. Dois deles exigem o uso de cordas e equipamentos de segurança. São 360 metros de ascensão desde a base até o cume e cerca de 1 quilômetro de escalaminhada passando por algumas fendas e abismos. A visão nesse trecho já é estupenda!

O tempo de subida desde a base até o cume vai variar de acordo com o preparo físico, o número de paradas e com o tamanho do grupo na sua frente nos trechos com corda. Nesses pontos a passagem é lenta e se seu grupo chegar exatamente quando um grupo com, por exemplo, 12 pessoas começou a passar, você terá que esperar um pouquinho.

Subida pela rocha

1º trecho de corda

2º trecho de corda

 

No cume

 

Nada como avistar aquele contorno que nos avisa que o cume está ali. A visão 360º do topo do maciço das Agulhas Negras dispensa elogios. A cena panorâmica do Vale do Paraíba, do maciço das Prateleiras e do Morro do Couto, da Serra Fina e do planalto mineiro surpreendem. Do outro lado, Pedra do Altar, Pedra do Sino de Itatiaia, colinas verdes e pedras e mais pedras colocadas sobre o solo.

O amplo cume “falso”

Pedra do Sino de Itatiaia visto do cume das Agulhas Negras

O cume do livro é outro

 

O cume “falso” das Agulhas Negras, embora todo entrecortado, é amplo e capaz de acomodar as 80 pessoas permitidas por dia no espaço. Porém, ele não é o ponto mais alto do maciço, e sim uma formação ao lado deste cume maior. Para alcançar o cume verdadeiro, onde está o marco do IBGE e o livro de cume é necessário descer e subir novamente uma fenda com cerca de 8 metros, usando cordas e equipamentos de segurança. Essa passagem geralmente é lenta por ser uma pessoa de cada vez, pelo manuseio dos equipamentos e pela atenção que exige. A sensação de alcançar o livro e registrar a gratidão por estar ali é tão imponente e verdadeira quanto o cume!

Foi mais uma etapa do Projeto Vida sem Paredes nos 10 Pontos Culminantes do Brasil!

Leia também: A trilha da montanha Pedra do Sino de Itatiaia

 

Fenda entre o cume “falso” e o cume do livro

No cume do livro (dentro da lata)

Livro de cume no cantinho da esquerda

 

Dicas para a trilha do Pico das Agulhas Negras

 

  1. A trilha para o Pico das Agulhas Negras é pesada e requer bom preparo físico e experiência.
  2. A portaria da parte alta do parque (Posto Marcão) fica perto de Itamonte a cerca de 60 quilômetros da portaria da parte baixa, que fica em Itatiaia. Cuidado para não confundir.
  3. É necessário contratar um guia credenciado do parque para essa e para todas as trilhas. Eu indico o guia Levy [ WhatsApp (24) 99907-5167 ] por sua grande experiência, conhecimento da área, qualidade no atendimento, atenção e disposição em ajudar o visitante. Ele pode, inclusive, te auxiliar a encontrar a hospedagem e o resgate até a parte alta do parque, se for o caso.
  4. O Parque Nacional de Itatiaia é limpo e organizado, com regras claras e específicas que contribuem para a segurança dos visitantes. Conheça mais detalhes sobre o parque, confira e respeite as regras de visitação no site.
  5. O ingresso do parque custa R$ 16,00 para brasileiros (abril/2017), mas se for visitar por mais de um dia, os valores ficam mais baratos. Confira também no site acima. Fique atento aos horários mínimos para entrada para visitação e saiba que há estacionamento gratuito lá.
  6. O Pico das Agulhas Negras tem número de visitantes máximo por dia (80 pessoas) e às 6h30 já têm uma fila de carros retirando suas senhas de atendimento para quando a portaria abrir, às 7h. Chegue cedo!
  7. É possível se hospedar no Abrigo ou no Camping Rebouças dentro do parque, mas as vagas são poucas e é preciso reservar com antecedência. Há opções de hospedagem perto da Garganta do Registro e na estrada até a portaria do parque. Nós ficamos no Hostel Picus, um abrigo de montanha com quartos de casal, quartos coletivos e camping. O lugar é agradável e tem preço bem em conta. Fica a 5 quilômetros da Garganta do Registro, na BR-354 entre os Km 768 e 769 e o contato via WhatsApp é (35) 99114-2525.
  8. Confira outras opções de hospedagem na região e reserve na Booking.com através desse link. (Ao reservar através de nossos links você ajuda o blog vida sem paredes a continuar compartilhando dicas de viagem sem pagar a mais por isso. Obrigada!)
  9. Se precisar alugar um carro para visitar o Parque Nacional de Itatiaia, escolha o ponto de partida e compare os preços de todas as locadoras através desse link.
  10. É possível ir de ônibus até Itatiaia ou Itamonte e nesse caso, vale a pena combinar um resgate de ida e volta até a entrada do parque. A viação Sampaio liga Rio de Janeiro a Itamonte, viação cometa liga Juiz de Fora a Resende e São Paulo a Itanhadu. Dessas duas últimas cidades há ônibus que passam em Itamonte. [ Alguns contatos: Taxi Mirinho Itamonte (35) 99117-1898 | Geraldo Viação Sampaio Itamonte (35) 99184-2303 ].
  11. Confirme com o guia quais equipamentos você deve levar e outras informações importantes sobre a trilha.
  12. Preserve o Parque Nacional de Itatiaia e o meio ambiente.

 

Melhor época

 

O Parque Nacional de Itatiaia pode ser visitado o ano todo, mas o melhor período para conhecer a parte alta é durante o inverno, quando há menos chances de chuva forte e raios. Mesmo assim, confira a previsão do tempo e só vá se estiver bom. A qualquer sinal de chuva, adie a trilha.

 

Pico das Agulhas Negras, PNI: 2.790 metros de altitude
Data da viagem: abril de 2017

por Camila Coubelle

Sobre Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa.
Adicionar a favoritos link permanente.

2 Comments

  1. Adorei a descrição e foi muito útil!! Valeu mesmo e parabéns pela ascenção e matéria!! Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *