Tarabuco: a imperdível feira indígena na Bolívia

 

A feira indígena de Tarabuco é uma oportunidade para conhecer mais de perto a cultura quéchua e levar pra casa uma lembrança típica da Bolívia.

Tarabuco é uma pequena cidade localizada a cerca de 66 quilômetros de Sucre, a 3.300 metros de altitude, famosa por ter uma das maiores feiras a céu aberto do país.

Todo domingo, é possível encontrar roupas de lã de alpaca, gorros, artigos de decoração, toalhas de mesa bordadas, artesanato e mais um monte de coisa bacana.

Ah, e é lá também que a gente encontra o mercado campesino, com comercialização de ervas, carnes, verduras, alimentos e bebidas regionais, proporcionando um mar de cores e sabores para esse lugarejo tão especial.

Confira o que ver na Feira de Tarabuco, e como chegar lá.

 

A Feira de Tarabuco, a maior da Bolívia

 

Além das compras, o interessante de Tarabuco é ter contato com a cultura e o idioma Quéchua. É lá que, anualmente, é realizado o festival Pujllay. A celebração comemora o dia 12 de março de 1816, data em que o povo de Tarabuco libertou sua cidade de forças espanholas. O festival também é mais uma oportunidade de expressar gratidão à divindade andina Pachamama (Mãe Terra).

A feira é tradicional e muito visitada por turistas do mundo todo aos domingos. A variedade é enorme e a gente encontra tanto aqueles artigos básicos quantos os curiosos e os bem rústicos, feitos pelos moradores locais.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (2)

Os tecidos de Tarabuco são os melhores em técnica, qualidade e cores. Dá vontade de levar tudo pra casa.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (1)

 

Como chegar em Tarabuco:

 

Para chegar ao vilarejo de Tarabuco é preciso ir até Sucre. Como a feira é realizada somente aos domingos, algumas empresas turísticas disponibilizam vans que saem da Plaza 25 de Mayo, no centro histórico da cidade branca, além de ônibus que saem do terminal rodoviário.

Se você optar pela van (como nós), fique atento: alguns hostels vendem os tickets, que devem ser comprados com antecedência. Deixamos pra comprar no domingo de manhã, antes da partida das vans, e não encontramos nenhuma agência aberta (também não achamos lugar para tomar café da manhã). Aos 45 do segundo tempo, encontramos uma van estacionada na praça e garantimos nosso lugar. A passagem custou 40 bolivianos (cerca de R$20,00), ida e volta, sem almoço (abril de 2016).

Como o acesso ao vilarejo é muito intenso, é comum que as conduções deixem os turistas nas proximidades da feira, perto dos restaurantes. A nossa, no caso, ficou em frente ao restaurante Samay Wasi e nos deixou na porta para recebermos instruções sobre a cidade.

O passeio saiu às 8h da manhã e o retorno na mesma van foi marcado para as 13h30. O tempo foi suficiente para conhecer a feira e ainda almoçar.

A cidade é bem pequena, mas há opções de hospedagem.

 

O que ver na Feira Indígena de Tarabuco

 

Cultura Quéchua

 

´Por ali é fácil ver mulheres usando o awayo, uma espécie de pano grande, grosso e sempre muito colorido que, dobrado, se torna uma espécie de mochilão. É nesses panos que elas podem carregar um pouco de tudo: crianças, mercadorias pra vender, coisas para viajar, comida…

Lembre-se que os tarabuqueños são um pouco fechados e não gostam de “forasteiros”. Respeite os costumes locais.

Com saias rodadas, blusas delicadamente estampadas e um chapéu por cima do cabelo dividido em duas longas tranças perfeitamente alinhadas, as Cholas chamam a atenção e despertam a curiosidade de qualquer turista. Antigamente, o termo ¨chola¨ tinha uma conotação pejorativa e se referia às mulheres nativas que, ao se mudarem para a cidade, esqueciam os costumes de seus antepassados e se rendiam ao estilo de vida dos mestiços urbanos. Atualmente, esse visual está relacionado ao orgulho que essas mulheres têm de sua identidade indígena. Detalhe: elas, assim como todo o povo Quéchua e Aymara, não se deixam ser fotografados por acreditarem que isso “roubaria sua alma”.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (3)

Mulher usando o awayo

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (16)

 

Artesanato

 

Compras! Compras! Compras! Por suas tapeçarias artesanais, bolsas, chapéus, ponchos e artesanato, turistas de todo o mundo se encontram em Tarabuco para comprar tecidos deslumbrantes, lembranças e presentes. Difícil é escolher o que levar.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (6)

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (7)

A feira se estende por toda a praça

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (9)

O nó que ele deu na pulseira da Camila não sai por nada, mas se ela quiser tirar, é só puxar um lado e sai completamente. (!)

 

O Mercado Campesino

 

O mercado campesino é muito voltado para a população local. Lá os moradores encontram artigos e alimentos para o dia-a-dia, ervas, bebidas e lanchonetes. Foi lá que compramos folhas de coca!

 

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (5)

O mercado campesino

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (4)

Mercado Campesino

 

Outras atrações em Tarabuco

 

Dizem que quando os espanhóis, carregados de armas, invadiram a vila, os indígenas resistiram com o que tinham e mataram os forasteiros de forma violenta, arrancando-lhes o coração e bebendo o seu sangue. Uma estátua foi erguida para representar esse momento de vitória.

 

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (10)

Na praça de Tarabuco é possível conhecer o pouco da história deste povoado.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (12)

A Estátua do ” salvaje de ojos desorbitados” comendo o coração de um soldado espanhol

 

Onde Comer

 

Tarabuco tem alguns restaurantes turísticos, que servem comidas típicas. Tudo é organizado pelo pessoal da van, que fica parada em frente ao restaurante em que você irá almoçar.

A comida é deliciosa e os preços são ótimos, incluindo entrada, almoço e sobremesa. A refeição é paga a parte.

Reservamos um almoço no Samay Wasi, restaurante próximo às ruas da feira. Fomos recebidos pelos donos que, além de nos explicar o que era a feira e um pouco da cultura do local, fizeram uma apresentação de dança típica no horário do almoço ao fim do tour. O restaurante abaixo tem a fachada aparentemente pequena, mas o local é amplo e o atendimento foi ótimo.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (13)

Restaurante Samay Wasi

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (15)

A comida é muito saborosa, porém um pouco apimentada.

Vida sem Paredes - Feira de Tarabuco (14)




 

 

Leia também: Gastos com mochilão Bolívia-Peru

 

O que levar para a Feira de Tarabuco

 

Casaco: Como a viagem, geralmente, é pela manhã, lembre-se de sair de blusa. O clima é ameno e tende a esquentar, então não se preocupe com casacos muito quentes – até porque você vai ter a oportunidade de comprar roupas típicas por lá.

Comida: Se você não é do tipo que não come coisas na rua, leve um lanche na mochila, além de água.

Dinheiro: Leve dinheiro e, de preferência, trocado. Os preços em Tarabuco são bons, mas pechinchando sempre rola um desconto. Se você não tiver dinheiro trocado e moedas, vai ficar difícil convencer os vendedores de que você precisa daquela facilidade. Além disso, a chance de você voltar com a sacola cheia de presentes é bem grande.

Nem precisamos falar para levar a câmera fotográfica, né?!


 

Organize sua viagem aqui no vida sem paredes

Reserve sua hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura, com opções de cancelamento gratuito e pagamento no check-in através da Booking.com

Precisa alugar um carro? Compare os preços das principais locadoras, pague em reais sem IOF e parcele em até 12x sem juros no cartão ou garanta 5% de desconto no boleto à vista no Rentcars.com

Faça uma cotação de seguro viagem, compare os preços de várias seguradoras e pague em até 12x ou com desconto no boleto bancário no Seguros Promo. Use nosso cupom de desconto e viaje tranquilo: VIDASEMPAREDES5

Ao reservar com um de nossos parceiros através dos nossos links citados acima, recebemos uma pequena comissão. Você garante os melhores serviços e preços, não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a continuar compartilhando dicas de viagem. Muito obrigada e boa viagem! <3

 


A feira indígena de Tarabuco – Bolívia: 66,4 Km de Sucre, Bolívia | 2.400 habitantes

Data da viagem: abril de 2016

 

Por Nange Sá

As dicas te ajudaram?

 Pra não perder nenhuma informação ou roteiro, fale com a gente no FACEBOOK, INSTAGRAM, PINTEREST ou YOUTUBE

Sobre Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa.
Adicionar a favoritos link permanente.

Um Comentário

  1. Pingback:Dicas de Uyuni: cidade de entrada no salar | Vida sem Paredes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *