O que fazer em São Paulo em 2 dias

 

São Paulo não soa muito bem para muitas pessoas que procuram um lugar legal para curtir um feriadão, acho que por que é associada a trânsito, buzinas e correria. Mas se engana quem não dá uma chance para essa cidade cheia de museus e arquitetura histórica. Para quem quer mergulhar em cultura, São Paulo é SIM um destino para colocar no topo da lista. Em dois dias lá, eu, João Victor e Carlos conseguimos perambular bastante e adoramos a efervescência paulista de nos surpreender – literalmente – a cada esquina. Vamos lá!

Dia 1 – Sexta-feira
Saímos do hotel rumo à Starbucks da Av. Paulista (próxima ao MASP) para, pela primeira vez na vida (JV e eu), ver nossos nomes escritos no copinho (!). Dali, seguimos pela Avenida mais famosa da cidade, simplesmente para apreciar. Passamos nas Livrarias Cultura e Fnac e fomos para o Centro Histórico.

Mosteiro de São Bento
É um dos símbolos da cidade e tem mais de 400 anos de história. Junto com a Basílica de Nossa Senhora da Assunção e o Colégio de São Bento, forma o conjunto beneditino de grande importância histórica, cultural e turística de São Paulo. Nem preciso falar da arquitetura e tudo mais, porque NADA vai te surpreender mais do que o canto gregoriano. Tá certo que eu gosto de música, mas foi uma surpresa muito boa, que, justo no horário que entramos, o som tomou o ambiente com sua força e delicadeza ao mesmo tempo. E ficamos.

 

Mirante do Banespa
O Edifício Altino Arantes – vulgo Banespão, é outra atração gratuita imperdível para quem quer descobrir “as proezas de São Paulo”. Inspirado na arquitetura do famoso Empire State Building, em Nova York, o edifício tem 35 andares, 14 elevadores, 900 degraus e 1.119 janelas. No alto dos seus 160 metros de altura há um mirante de onde se avista todo o centro de São Paulo. Fica próximo à estação São Bento, na Rua João Brícola, 24.

Galeria do Rock
É o santuário sagrado do rock, onde a cultura alternativa é celebrada e estampada em todos os cantos. O lugar tem mais de 450 lojas e reúne música, tattoo, skate, moda alternativa e outras coisas mais que, se você não marcar no relógio, vão fazer você passar o dia ali fácil. Fica perto da estação República do metrô.

 

Praça e Catedral da Sé, Marco Zero
Essa todo mundo já ouviu falar. Nela estão o Marco Zero, que ressalta o papel central do Estado de São Paulo na formação do Brasil, e a Catedral da Sé, a maior igreja da cidade, com 92 metros de altura. Gótica e bizantina, com coqueiros imperiais e escadarias, é um dos símbolos turísticos mais visitados de lá.
No fim da tarde, nós compramos sanduiches e cervejas e comemos nas escadarias da igreja, no melhor estilo europeu (risos) e, do nada, apareceu um grupo de teatro encenando uma peça sobre a ditadura. As pessoas se aglomeraram em volta e ficamos ali no meio.
De volta pra “casa”, descemos em uma estação da Av. Paulista e um burburinho chamou a atenção do outro lado da rua. Era o Instituto Cervantes e estava acontecendo um evento cultural, e para a nossa alegria, tinha danças espanholas, degustações e tudo mais. Decidimos ficar por ali e compramos um vinho Espanhol. O Carlinhos, que tinha ido pouco tempo antes para a Espanha, ficou relembrando a viagem, nos contando algumas histórias, falando do Jamón, que compramos para experimentar, e de fato, é o melhor presunto que eu já comi, e a noite “surpresa” foi deliciosa.
E rendeu!
Tanto que na volta, compramos mais vinhos, rs.

Vida sem Paredes - São Paulo (1)

Centro de SP

Vida sem Paredes - São Paulo (7)

Vista do Mirante do Banespão

Vida sem Paredes - São Paulo (2)

Galeria do Rock

 

Dia 2 – Sábado
Esse dia foi um verdadeiro garimpo de museus. Saímos cedo e só voltamos no fim do dia. Deu tempo de ir:

 

MASP – Museu de Arte de São Paulo
Dispensa comentários. Seu acervo cobre boa parte da arte ocidental desde a Antiguidade.
Horário: De Terça a Domingo das 11h às 18h
Endereço: Av. Paulista, 1578 – Perto da estação de metrô Trianon-Masp

Pinacoteca
Um dos mais conhecidos museus de artes visuais, A Pinacoteca do Estado tem ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade. A entrada é bem baratinha, tem exposições interativas e fica do ladinho da estação da Luz.
Horário: Terça a Domingo, das 10h às 18h
Endereço: Praça da Luz – Perto da estação de metrô e trem Luz.

Estação da Luz
A estação mais charmosa de São Paulo funciona desde 1867 e conserva até hoje a essência que nos dá a sensação de voltar no tempo. Sabe um lugar pra ficar olhando o vai e vem de pessoas? Então.
E nós ainda tivemos a sorte de visitar o Museu da Língua Portuguesa, incendiado no fim do ano passado. Ele está em fase de recuperação, para a sorte de quem não conhecia. O Masp que me perdoe, mas foi no Museu da Língua Portuguesa que eu quis ficar pra sempre. Tudo interativo, histórias das origens das culturas que influenciaram a língua portuguesa, e tudo mostrado de uma forma bem lúdica e interessante. E ainda tem uma surpresa boa que não vou contar. Quando reinaugurar, coloquem na agenda.
Nessa noite, fomos para a Rua Augusta. Sim, enchemos a cara. Sim, ficamos deslumbrados com a pluralidade do reduto mais famoso de São Paulo. Sim, fomos convidados para uma orgia internacional (gargalhadas). Se quiser conhecer os bares e baladas que formam o mosaico da cena cultural paulistana, vá para a Rua Augusta!
No domingo, antes de finalizar a visita a São Paulo, a despedida foi no Mercado Municipal. Comemos as frutas loucas todas que vendem lá e claro, um baita pastel com tudo dentro (que eu não quero lembrar), e por isso, a história acaba aqui.

O Mercado Municipal tem entrada grátis:
Horário: Segunda a sábado, das 6 às 18 horas.
Endereço: Rua da Cantareira, 306 – Perto da estação de metrô São Bento

PS: Faltou muuuuuito o Parque do Ibirapuera e o Museu Afro Brasil, que queríamos ir, mas não deu tempo. Um absurdo esse tempo que passa rápido!

Fim.

Vida sem Paredes - São Paulo (8)

Fachada do MASP

Vida sem Paredes - São Paulo (6)

Pinacoteca e Museu da Língua Portuguesa

Vida sem Paredes - São Paulo (3)

Fachada

 

Nem preciso dizer que São Paulo tem muito e muito e muito mais coisas para fazer, né!?

Mas com essas dicas, você já tem um bom começo! Enjoy!

Anote
Compramos vários bilhetes de metrô: é o jeito mais fácil de passear e os funcionários são sempre muito solícitos para dar informações.

Distâncias até São Paulo – SP:
495 Km de Juiz de Fora – MG
429 Km do Rio e Janeiro – RJ
586 Km de Belo Horizonte – MG
938 Km de Vitória – ES

São Paulo – SP: 11,32 milhões de habitantes | 760 metros de altitude | 110V (mas nos principais hotéis da cidade, há tomadas com identificação de 220V)

Por Camila Coubelle

Sobre Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa.

Adicionar a favoritos link permanente.

2 Comments

  1. Pingback:7 estilos de viagem de acordo com seu perfil | Vida sem Paredes

  2. Pingback:Trilha do Morro Dois Irmãos no Vidigal | vida sem paredes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *