Emoções da Travessia Petrópolis-Teresópolis

 

A Travessia Petrópolis-Teresópolis na Serra dos Órgãos ficou marcada como a minha primeira. Comprei com antecedência sem pesquisar sobre e quando comecei a fazer isso, bateu aquele frio na barriga. Todos os sites e relatos diziam que era nível hard. Oba!

Os 3 Picos de Nova Friburgo vistos do Castelo do Açu

Os 3 Picos de Nova Friburgo vistos do Castelo do Açu

Travessia Petrópolis-Teresópolis - Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Trilha no 1º dia, antes da chuva começar.

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Na Pedra do Sino

Existem muitos relatos, tracklogs e informações sobre a travessia Petrópolis x Teresópolis na internet, mas nada do que você pesquisar vai te preparar para tudo que pode acontecer lá. Por isso, quero dividir todos os sentimentos, emoções e aprendizados que vivi nesse lugar incrível.

Antes de começar, dê o play aí!

Tudo que aconteceu comigo pode acontecer com você. E se acontecer, prepare-se, vai ser uma das experiências mais incríveis da sua vida.

  1. Pode cair uma tempestade impiedosa na véspera, e te fazer pensar em desistir.
  2. Você pode ter a sorte de ir no ônibus com um senhorzinho motorista super simpático que pode olhar para sua cargueira e falar: “moça, você vai fazer trilha? Então pode descer aqui que desce um monte com essas mochilas aqui”. Valeu motô!
  3. Você pode stalkear e pesquisar a vida inteira do seu guia e nem desconfiar do quão gente boa ele pode ser pessoalmente. Valeu Ivo Jr.!
  4. Os primeiros 100 metros vão parecer 100 Km.
  5. Pode começar a chover às 2 da tarde e não parar mais. Você vai ter que ter cuidado redobrado nas lajes de pedra e inevitavelmente, vai afundar o pé na água até a metade da canela. Isso mesmo, não importa se sua bota é impermeável, vai molhar.
  6. Você pode  achar que vale muito a pena perder o fôlego na trilha se for pra dar risada de alguém que usa capa de chuva do Romero Britto. Valeu Daniel!
  7. Você pode ficar decepcionado porque a neblina veio justo na hora que você deveria ver o Dedo de Deus.
  8. Você pode ficar assustado ao ver pela primeira vez na vida, DUAS pessoas com princípio de hipotermia. E ver como a habilidade dos refugeiros para aquecer rapidamente a pessoa faz toda a diferença. Valeu Amilton!
  9. Você será capaz de comer um sopão cuja embalagem diz “Rende seis porções” sozinha.
  10. Você pode caminhar três dias com os pés molhados, e ainda assim entender que tá no lucro porque a bota de alguém não resistiu. Valeu Tiago!
  11. Você pode temer o Cavalinho, mas descobrir que com uma corda para puxar as mochilas, e uma mãozinha de alguém, dá pra subir tranquilo.
  12. Pode temer o Elevador, e continuar temendo, porque depois que começa a subir, e tem gente na sua frente, e gente depois de você, não dá mais pra desistir. E se você tem menos de 1,60m, cada “passo” parece ter 1,80m de puro desafio da matemática.
  13. Você pode conhecer um guri perdido na portaria do parque, querendo se juntar ao seu grupo, e achar que foi um anjo que apareceu para emprestar todas as coisas que o resto do grupo esqueceu. Valeu Paulo!
  14. Você vai fazer algumas das fotos mais incríveis de suas viagens.
  15. Você vai entender a grandiosidade da natureza em esculpir paisagens tão….tão…
  16. Você pode descobrir algo novo e ouvir histórias muito interessantes a respeito, como o Quarup, e desenvolver um desejo profundo de participar. Valeu Gil!
  17. No último dia, você vai descer se sentindo o Mogli das Montanhas superintegrado e à vontade na trilha.
  18. Ao final, você pode comer uma comidinha caseira e achar que é o prato mais saboroso do mundo.
  19. Você pode constatar que só um grande amigo pra estender a mão e te ajudar o tempo todo, mesmo você brigando com ele em todas as outras viagens. Valeu Carlos!
  20. Você pode se sentir vitorioso, mais forte, mais concentrado, mais disposto e um tanto de outras coisas que só essas experiências ensinam pra você.
  21. Pode ser eternamente grato ao culpado por tudo isso, que planejou o trekking e organizou toda a logística. Valeu Leandro!
  22. E por fim, você pode ser picado por um mosquito terrível que te faz voltar pra casa quebrado, mas preparando a lista das “1000 travessias ao redor do mundo para fazer antes de morrer”.
Os 3 Picos de Nova Friburgo vistos do Castelo do Açu

Os 3 Picos de Nova Friburgo vistos do Castelo do Açu

Visão da Pedra do Sino, 2.275 metros de altitude

Visão da Pedra do Sino, 2.275 metros de altitude

Pedra do Sino - Serra dos Órgãos

Pedra do Sino – Serra dos Órgãos

Castelo do Açu, 2.232 metros de altitude - Serra dos Órgãos

Castelo do Açu, 2.232 metros de altitude

Travessia Petróplis-Teresópolis - Serra dos Órgãos

Da esq. pra dir.: Thiago, Carlos, eu, Paulo, Leandro, Ivo Jr., Gil e Daniel

Vida sem Paredes - Pedra do Sino - Serra dos Órgãos

Quem são? Só sei que minha sombra está ali!

Agora, vamos a alguns pontos para ajudar no seu planejamento, para que seja inesquecível, como foi para mim.

A Travessia Petrópolis-Teresópolis é considerada uma das mais bonitas do país. É feita no Parque Nacional da Serra dos Órgãos e tem cerca de 30 Km, atravessando mais ou menos oito vales cheio de desníveis nas montanhas da serra de mesmo nome.

A serra, por sua vez, tem esse nome por causa da semelhança dos seus picos com os tubos de órgãos de igreja. A travessia geralmente é feita no sentido Petrópolis -> Teresópolis, mas alguns fazem ao contrário. O mais comum é fazer em três dias, e assim dá para aproveitar melhor cada metro quadrado.  Conheci pessoas que fizeram em dois e pessoas que querem fazer em um. O último dia é o mais tranquilo da travessia. Apesar de ser o mais longo, é só descida, com fácil navegação.

Ficha técnica: PARQUE NACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS

  • Telefone: (21) 2642.4072 / 2152.1111
  • Localização: municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim.
  • Área: 20.024 hectares
  • Fundação: 1939
  • Altitude: 2.275 metros
  • Fauna: 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 102 de anfíbios, 81 de répteis, 6 de peixes e mais de 500 de invertebrados. O parque protege 120 espécies de animais ameaçados de extinção.
  • Flora: remanescente de Mata Atlântica.
  • Infraestrutura: portaria em Petrópolis, Teresópolis e Guapimirm, centro de visitantes, estacionamento, abrigos, banheiros, além das áreas destinadas a pesquisadores e funcionários.

O parque tem mais de 200 Km de trilhas em todos os níveis de dificuldade e é um dos melhores do país para a prática de montanhismo e escalada. Entre as escaladas, destaca-se o Dedo de Deus, considerado o marco inicial do esporte no Brasil.

A temporada de montanhismo vai de maio a setembro, e nessa época, é bom comprar os ingressos para o parque com antecedência. É simples fazer isso pelo site e para a travessia, os pernoites são respectivamente no Castelo do Açu, 2.232 m. de altitude, e na base da Pedra do Sino, que é o ponto culminante da Serra dos Órgãos, com 2.275 m. As opções são beliche em quarto (poucas vagas), bivaque e camping. No mesmo pacote, você já inclui os banhos. Os abrigos não comercializam nada, então, é preciso levar toda a comida e abastecer a água nos refúgios ou nas fontes no caminho.

Travessia Petrópolis-Teresópolis - Serra dos Órgãos

A visão é estupenda!

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

A beleza por trás da chuva

Travessia Petrópolis-Teresópolis - Serra dos Órgãos

Amanhecer lindíssimo!

 

Recomendações!

  1. A Travessia Petrópolis-Teresópolis é considerada de nível difícil, e muitos trechos exigem experiência em navegação. É recomendado ir com alguém que conheça, ou com um dos vários guias autorizados. Eu indico o Ivo Jr. por sua enorme competência no assunto. Inclusive, ele faz o translado de volta para a sede de Petrópolis, caso você tenha deixado seu carro lá. Contato: 021 27424916 / 021 971138708
  2. Não deixe nenhum lixo no caminho.
  3. Se informe bem sobre a Travessia Petrópolis x Teresópolis, e para isso, indico que você leia sobre o assunto no blog Coco no Mato, que tem informações bem completas e legais.

Se você também foi surpreendido com momentos incríveis na Petro-Terê, divida com a gente!

 

Travessia Petrópolis-Teresópolis – RJ: 30 Km I 2.275 m.

Como chegar

A portaria da Sede Petrópolis fica no Bairro do Bonfim, em Corrêas, Petrópolis. O acesso principal é pela BR-040, que liga o Rio de Janeiro (RJ) a Juiz de Fora (MG). Do centro de Petrópolis, o acesso é através da Estrada União-Indústria, em direção ao Distrito de Corrêas.

A partir de Teresópolis, o acesso é pela BR-393 sentido Itaipava, até Petrópolis e o Distrito de Corrêas.

A partir de Corrêas, é preciso seguir por estrada de terra e trechos ruins de asfalto e paralelepípedo até a portaria.

De ônibus, vá até o Terminal de Corrêas e pegue as linhas 611 (Bonfim) ou 616 (Pinheiral) que vão até próximo à portaria.

Distâncias até Petrópolis – RJ:

119 Km de Juiz de Fora – MG

68,7 Km do Rio de Janeiro – MG

451 Km de São Paulo – SP

493 Km de Vitória – ES

por Camila Coubelle

Sobre Vida sem Paredes

Um blog sobre descobertas e viagens, ou vice-versa.
Adicionar a favoritos link permanente.

10 Comments

  1. Oi Camila! Adorei o relato da Travessia! Fiz ela no último fim de semana, e voltei apaixonada, foi meu primeiro trekking! Por acaso encontrei o blog através de pesquisas no Google sobre Pico da Bandeira, e achei muito bacana seu projeto dos 10 cumes! Me inspirou!

    Abs!

    • Que legal que gostou do blog! A Travessia é mesmo uma experiência única e tenho certeza que marcou você para sempre! Esse ano continua o projeto dos 10 cumes, acompanhe aqui e se anime tb! Beijão!

      • Aguardo ansiosa! Pretendo iniciar o curso básico de montanhismo num clube aqui do Rio agora no meio do ano (aprender algumas noções mais técnicas), e espero ainda esse ano fazer acontecer esse projeto dos 10 cumes!

  2. Pingback:7 estilos de viagem de acordo com seu perfil | Vida sem Paredes

  3. Pingback:Trilha Transcarioca: parte 1 | Vida sem Paredes

  4. Muito bom o relato! Gostei do formato rápido sobre as suas impressões e sem os detalhes que já tem em N blogs por aí.

    Só uma pergunta, qual dia você fez a travessia? Fiz um bate e volta com pernoite no Açu no ano passado, mas não tava frio e nem chovendo. (Olha nós https://www.youtube.com/watch?v=ENqkWH8HQHM)

  5. Olá Camila e Nange tudo bem?

    Fiquei feliz de ver que conseguiram fazer a travessia e que tiveram momentos incríveis lá.

    Eita lugarzinho bom né? Muito LOCO!

    Que bom que o Cocô no Mato tem ajudado pessoas bacanas como vocês a fazerem esse tipo de role ;)!

    Qualquer coisa tamo junto!

  6. Pingback:Guia e dicas do que fazer em Petrópolis | vida sem paredes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *